Museu da Vida Marinha Ubatuba

Naturam » Blog da Naturam » Museu da Vida Marinha Ubatuba

O Museu da Vida Marinha Ubatuba, inaugurado em junho de 2021, é uma atração para toda a família, pois permite viajar no tempo e conhecer a história da evolução da vida nos mares, desde seu surgimento há 3,8 bilhões de anos até os dias de hoje.

Parte das obras já fazia parte do acervo do Instituto Argonauta e do Aquário de Ubatuba, e podia ser visitada no Aquário de Ubatuba, mas a mudança para o atual espaço, na orla do Perequê-Açu, tornou a experiência ainda mais rica.

O que você encontrará no Museu e Dicas Gerais:

Sala dos Animais Pré-históricos

A visita ao Museu da Vida Marinha começa com uma verdadeira viagem no tempo: a Sala dos Animais Pré-históricos traz réplicas dos primeiros seres que habitaram os mares desde seu surgimento, há 3,8 bilhões de anos.

Logo na entrada, você vai se deparar com uma grande réplica de uma Amonita (Parapuzosia seppenradensis), grupo de moluscos cefalópodes com concha externa que podiam atingir até 1,4 toneladas e se extinguiu junto com os grandes dinossauros.

Você também conhecerá réplicas dos Pliossauros, grandes répteis marinhos que chegaram a atingir 10 metros de comprimento e 13 toneladas.

Um desses grandes predadores, o Kronosaurus boyacenses tiveram fósseis encontrados na Colômbia e Austrália; o plesiossauro Aristonectes parvidens, réptil extinto que viveu no período Cretáceo e foi considerado o melhor nadador.

Já pensou em entrar na boca de um Otodon megaladon, provavelmente o maior tubarão que já existiu, com 250 dentes serrilhados?

Outra curiosidade são animais pré-histórico que até hoje habitam os oceanos, como a lula gigante (Architeuthis dux), espécie que pode medir até 13 metros de comprimento e o Celacanto, peixe ósseo que habita as profundezas dos mares há 350 milhões de anos.

Sala dos Animais Atuais

Os animais marinhos da era cenozoica, em que vivemos, são o destaque da segunda grande sala do Museu da Vida Marinha. Nela, o visitante poderá conhecer esqueletos reais dos principais animais que habitam ou migram para nossa região.

O maior destaque fica para a baleia-jubarte (Megaptera novaeangliae), que, durante o verão, se dirige às águas polares para se alimentar e durante o inverno migra para águas tropicais e subtropicais para acasalar e dar à luz.

Podem pesar cerca de 35 toneladas, medir até 16 metros de comprimento e não possuem dentes – no lugar destes, estão as barbatanas, que utilizam para se alimentar.

Este acervo concentra ainda ossadas e cascos de diversas espécies de tartarugas marinhas. Uma delas é a tartaruga-cabeçuda (Caretta caretta), que chega a pesar cerca de 140 kg e, no Brasil, fazem ninhos no Espírito Santo, litoral Norte do Rio de Janeiro, Bahia e Sergipe.

Há ainda esqueletos de cetáceos como a toninha (Pontoporia baiville); e de pinipedes como a foca-caranguejeira (Lobodon carcinophaga) compondo o acervo dos animais contemporâneos.

O acervo das aves marinhas que passaram por taxidermia apresenta ao visitante as principais espécies que podem ser avistadas no litoral brasileiro.

Entre elas, os pinguins-de-Magalhães (Spheniscus magellanicus), aves migratórias comumente vistas na região; a incrível fragata (Fregata magnificens), cuja envergadura pode chegar a dois metros, e o nadador e mergulhador bobo-pequeno (Puffinus pufinnus).

Container das ameaças à vida marinha

Você sabe o tamanho do impacto do ser humano sobre a vida marinha? A visita ao Museu da Vida Marinha segue com o Container das Ameaças, que nos leva a uma reflexão sobre a ação humana sobre a vida marinha.

Uma das atrações de maior impacto é a Caverna dos Ossos, construída inteiramente com ossos de animais marinhos, como golfinhos, baleias e tartarugas que morreram em razão do contato com seres humanos – seja por meio da caça ou pesca, da interação com petrechos de pesca ou com o lixo marinho.

A construção remete à famosa Capela dos Ossos, localizada em Évora, Portugal, e coloca a espécie Homo sapiens como o verdadeiro rei da destruição do planeta – traz até um trono, formado por ossos de baleia e tartaruga, onde o visitante pode se sentar e refletir sobre essa condição.

Na sequência, é possível ter uma dimensão do impacto do lixo nos ambientes costeiros e marinhos, com uma amostra do lixo recolhido ao longo dos últimos anos pela equipe do @institutoargonauta.

Há desde óculos e chinelos, muitas vezes perdidos ou esquecidos pelos usuários das praias, até brinquedos, bitucas de cigarro, pneus e garrafas plásticas fabricadas do outro lado do mundo, que chegam às nossas praias via embarcações ou mesmo correntes marítimas.

Também traz dados sobre o lixo coletado nas praias do litoral Norte de São Paulo, sua composição e o que fazer para reduzir os impactos dos hábitos de consumo sobre a vida marinha.

Outra atração é a Casa da Sustentabilidade, que apresenta aos visitantes as alternativas e ações do dia a dia que cada um pode fazer para reduzir os impactos e ajudar a preservar a natureza.

Loja do Museu doa Vida Marinha Ubatuba

Quer contribuir para a conservação da vida marinha e ainda levar para a casa uma lembrança sustentável?

Venha conhecer a loja Museu da Vida Marinha onde você poderá encontrar itens artesanais como canecas feitas de fibra de coco e copos térmicos em fibra de bambu.

Você encontrará também produtos que contribuem para um estilo de vida ecológico, como garrafas de água e canudos de aço inox, jogo de quebra-cabeças de madeira, camisetas confeccionadas em algodão orgânico, livros educativos e bijuterias, entre outros.

A loja também vende ingressos para o Nautilus, embarcação que promove o turismo de cunho ambiental, educativo e científico no litoral Norte de São Paulo, com passeios saindo de Ubatuba.

Sobre o Museu e o Instituto Argonauta

Ao visitar o Museu da Vida Marinha, você conhecerá um pouco do Instituto Argonauta, que atua há 23 anos no litoral Norte de São Paulo, e contribuirá com a manutenção de suas atividades, que tem entre seus objetivos a conservação do meio ambiente com foco nos ecossistemas costeiros e marinhos.

Estamos funcionando com todos os protocolos sanitários contra a covid-19, com uso obrigatório de máscaras, de modo a proporcionar uma visita segura a toda a sua família.

Saiba tudo sobre o Instituto Argonauta: www.institutoargonauta.org

Como chegarno Museu da Vida Marinha Ubatuba

O Museu da Vida Marinha está localizado na sede do Instituto Argonauta, na Avenida Governador Abreu Sodré, 1067 – Perequê-Açu, Ubatuba/SP, aberto diariamente das 10h às 18h.

O valor dos ingressos é R$ 21,00 (inteira) R$ 10,50 (meia entrada) gratuidade (maiores de 60 anos, crianças menores de 5 anos acompanhadas de adulto pagante.

Moradores de Ubatuba com cadastro (feito na bilheteria mediante a apresentação de documentos comprobatórios de residência fixa na cidade).

Sobre Ubatuba

Ubatuba é uma cidade do Litoral Norte de São Paulo, com mais de 100 belas praias, ilhas, ecoturismo nas florestas e cachoeiras da Mata Atlântica e uma excelente estrutura para o turismo.

Na lista abaixo você encontrará as melhores páginas para programar sua viagem a Ubatuba para muitos momentos de lazer:

▶ Vai viajar? Então reserve aqui!

Você sabia que ao fazer uma reserva com um link aqui no nosso blog, nós ganhamos uma pequena comissão? Você não é taxado a mais por isso e ainda ajuda a Naturam a produzir mais artigos de qualidade! Agradecemos imensamente a ajuda!

Deixe um comentário