Chapada dos Veadeiros – 27 Dicas de o que fazer com muitas cachoeiras!

Naturam » Tipo de Viagem » Aventura e Ecoturismo » Chapada dos Veadeiros – 27 Dicas de o que fazer com muitas cachoeiras!

A Chapada dos Veadeiros é uma região impressionante, e o visual do cerrado e as cachoeiras paradisíacas com toda a certeza fazem da Chapada um dos destinos mais incríveis para se conhecer no Brasil.

Conhecida por ser um lugar de tirar o fôlego, fica localizada em Goiás, no centro do Brasil.

Em resumo, é um destino para quem gosta de natureza, trilhas, visuais deslumbrantes e experiências diferenciadas.

De cânions até passeios de balão e paraquedas, a região conta com uma enorme abundância de passeios.

E é claro que também não podemos deixar de mencionar suas principais atrações, as maravilhosas cachoeiras com incríveis poços em tons de azul claro e outras com intenso verde esmeralda. 

Enfim, a seguir você terá acesso ao maior e mais Completo Guia Sobre a Chapada dos Veadeiros com informações de onde fica, quando ir, o que fazer, cachoeiras, cânions, preços, pousadas e muito mais!

O que você encontra aqui:

Onde fica a Chapada dos Veadeiros

Aeroporto - Onde fica a Chapada dos Veadeiros
Voo para BSB

A Chapada dos Veadeiros fica localizada a noroeste do estado de Goiás, em uma região que engloba 8 cidades.

Mais especificamente, está a cerca de 250 km de Brasí­lia – ou seja, partindo do Aeroporto de Brasília, são cerca de 3h de carro até a Chapada.

Desta forma, para conhecer os atrativos naturais da Chapada dos Veadeiros, você terá algumas cidades que são consideradas bases de apoio para os turistas, entre as principais estão Alto Paraíso de Goiás, a Vila de São Jorge e Cavalcante.

Em outras palavras, é uma região enorme, e essas cidades são as que possuem melhor estrutura para receber os visitantes – até porque é onde grande parte das atrações da região está concentrada!

Aliás, se você observar o mapa a seguir, verá como as cachoeiras e demais atrativos estão espalhados por essas cidades:

Veja onde ficar na Chapada dos Veadeiros

– Conheça cada uma das cidades bases

Todo mundo que fala sobre a Chapada parte direto para cima dos atrativos, mas acreditamos que antes de falar dos atrativos você precisa entender um pouco mais sobre cada cidade e sua localização.

Isso irá ajudar no planejamento da sua viagem, já que assim você poderá se situar melhor quando falarmos de cada cachoeira.

Porém, se você já sabe sobre isso e quer conhecer os atrativos, clique aqui para pular.

Alto Paraíso

Alto Paraíso é de fato a maior cidade da região, onde você irá encontrar uma grande variedade de opções de hospedagem, melhor infraestrutura e melhores preços.

Ou seja, encontramos lá a Feirinha do Agricultor, mercados, padarias, restaurantes e bares.

É também uma boa base para conhecer a maioria dos cartões postais da Chapada graças a sua localização estratégica, a menos de 40 km do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros e 90 km de Cavalcante.

Além disso, Alto do Paraíso conta com um CAT (Centro de Atendimento ao Turista), onde você pode pegar informações das cachoeiras e até contratar guia para seu passeio.

Geralmente os guias cobram R$ 200 por grupo.

➥ CAT Alto Paraíso
  • Avenida Ary Valadão Ribeiro Filho – Alto Paraiso de Goias
  • Telefone: (62) 3446-1159
  • Funcionamento: das 08h às 12h e das 13h às 17h

Vila de São Jorge

Agora, se procura um contato mais intenso com a natureza, a Vila de São Jorge é uma excelente opção de onde ficar na Chapada dos Veadeiros.

Possui ar mais rústico e alternativo, ruas de terra e pousadas charmosas, e fica situada relativamente próxima à Alto (36 km).

Basicamente, São Jorge fica próxima de atrações como o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, a trilha da Janela/Abismo e o Vale da Lua – que são atrações muito procuradas principalmente por quem vai pela primeira vez na Chapada.

A Vila tem Mercado, Farmácia, Serviço de Correio, um Posto Médico e um Posto Policial (que atendem em horário diurno).

São Jorge também possui um CAT (Centro de Atendimento ao Turista), onde você pode pegar informações das cachoeiras e até contratar guia para seu passeio.

Geralmente os guias cobram R$ 200 por grupo.

➥ CAT São Jorge
  • Av. A – São Jorge
  • Telefone: (62) 3455-1090

Cavalcante

Por fim, Cavalcante é a estrela mais recente da Chapada dos Veadeiros graças à queridinha da vez, a Cachoeira Santa Bárbara.

Por isso, as opções de hospedagem são mais limitadas, sendo então recomendado reservar com antecedência – mas ainda assim conta com atrações de tirar o fôlego.

Porém vale lembrar que Cavalcante está a 90 km de distância de Alto.

– Distâncias das cidades:

  • De BSB para Alto Paraíso de Goiás: 230 km
  • De Alto Paraíso de Goiás para Vila de São Jorge: 36 km
  • De Alto Paraíso para Cavalcante: 90 km

Inclusive, se você for de Alto Paraíso para São Jorge não se esqueça de abastecer, pois não há posto de combustível em São Jorge.

Cachoeiras da Chapada dos Veadeiros por cidade

27 Dicas de o que fazer na Chapada dos Veadeiros

Chapada dos Veadeiros Cachoeira Cordovil
Cachoeira do Cordovil

São inúmeras as opções de o que fazer na Chapada dos Veadeiros.

Você pode conhecer cachoeiras, fazer trilhas ou entrar em contato com a cultura local.

Aqui nós mostraremos para você as melhores cachoeiras da Chapada dos Veadeiros, as mais visitadas, as novas descobertas e também locais pouco conhecidos.

É importante dizer que a água por lá é quase sempre bem gelada, porém, com o clima quase sempre quente, o mergulho é um grande prazer.

Além disso, a distância impede que mais de uma cachoeira seja visitada em um mesmo dia. Não é impossível, mas você teria que aproveitar menos alguma das atrações.

Então para ajudar a organizar a sua viagem, separamos as cachoeiras por proximidade com as principais bases, o que facilitará a escolha dos passeios em um mesmo dia e também ajudará na escolha da localização da sua pousada:

1 – Cachoeiras São Bento e Almécegas I e II

Foto Almécegas I Chapada dos Veadeiros
Almécegas I

O conjunto formado pela Cachoeira Almécegas I, Almécegas II e São Bento está entre os mais procurados pelos viajantes que chegam à Chapada dos Veadeiros. 

É uma boa pedida para começar a exploração da região já que as três cachoeiras podem ser visitadas em meio perí­odo, mas para visitá-las com calma, o ideal é um dia inteiro.

Por exemplo, visitar o Vale da Lua de manhã, e depois, as Cachoeiras São Bento, Almécegas I e Almécegas II.

Essas três belíssimas cachoeiras ficam dentro de uma propriedade particular, a Fazenda São Bento.

Almécegas I

Foto Almécegas I Chapada dos Veadeiros
Almécegas I

A Cachoeira Almécegas I é a mais imponente, com 45 m de queda que lembra um véu de noiva com um poço grande e profundo para banho, com águas bem geladas.

É possível vê-la do alto, através de um mirante antes de chegar à cachoeira, e apreciar as incontáveis quedas que se formam no paredão de pedras.

A trilha para acessá-la possui 2 km (ida e volta) e tem um trecho bastante íngreme, ou seja, se prepare para uma bela subida na volta.

Antes de seguir para o poço (ou então na volta), não deixe de visitar as piscinas naturais que se formam no topo da Almécegas I e rendem um delicioso banho, principalmente para quem não sabe nadar muito bem ou tem medo de grandes quedas d’água.

As piscinas naturais são acessadas logo antes do mirante e da descida para o poço da Almécegas I através de uma trilha à esquerda – há uma placa indicativa.

Para ir até o mirante e depois até o poço, basta seguir em frente.

Chegando no poço, quem estiver com disposição poderá arriscar nadar até o início do cânion que se forma após a cachoeira.

O retorno da Almécegas I é marcado por uma subida de respeito, dá uma cansada, então suba com calma e retome o fôlego depois da subida. Por lá vimos pessoas subindo quase que engatinhando para se ter uma ideia.

Depois pegue o carro e siga rumo a Almécegas II.

Almécegas II

Foto Almécegas II Chapada dos Veadeiros
Cachoeira Almécegas II

Diferentemente da sua irmã, a Cachoeira Almécegas II tem apenas 8 m de queda, mas é ótima para relaxar e tem uma piscina bacana.

Sua trilha é fácil de ser percorrida, com apenas 300 metros até o poço.

Como o paredão de rocha nos arredores da cachoeira é baixo, a Almécegas II tem muito mais tempo de sol do que a Almécegas I.

No período de seca, a queda da cachoeira perde força e é possível sentar-se no meio dela para um bom banho.

Além disso, para chegar ao poço principal, vale descer pelas pedras da cachoeira ou pela trilha lateral, à direita.

São Bento

Foto São Bento Chapada dos Veadeiros
Cachoeira São Bento

Ao terminar a visita a Almécegas II você ainda pode aproveitar a Cachoeira São Bento, também com acesso bem fácil.

A São Bento é a mais próxima da entrada da fazenda, o início da trilha fica de frente para a portaria.

A trilha possui apenas 100 m e a Cachoeira São Bento é a que tem a maior piscina.

Inclusive, o ingresso pode incluir as três atrações ou apenas a Cachoeira São Bento – você que escolhe.

– Dicas

Se estiver em Alto Paraí­so, outra dica é você alugar uma bike para chegar na fazenda, são apenas 8 km no plano e lá pode deixá-la estacionada para fazer as trilhas.

Lembrando também que são cachoeiras bastante populares e que costumam encher em dias de grande movimento na região.

Se a ideia é fugir do agito, prefira visitá-las em dias de semana.

Além disso, no local há um excelente restaurante com buffet a preço fixo que funciona dentro da Pousada São Bento. 

Na propriedade, é possível também visitar a Cerveja São Bento (aberta, geralmente, nos finais de semana e feriados), com produção artesanal de cervejas.

Para quem deseja um lanche rápido, há um café ao lado da portaria de acesso à fazenda que vende alguns salgados e bebidas.

Por fim, lá no complexo tem também a tirolesa de 850 metros, chamada Voo do Gavião. Custa R$ 150 para ir sentado e R$ 200 para ir deitado e o voo duplo por R$ 250.

Clique aqui para mais informações e agendamento prévio

– Como chegar

As Cachoeiras São Bento e Almécegas I e II estão localizadas dentro da Fazenda São Bento.

A entrada fica a 8 km de Alto Paraíso, rumo à Vila de São Jorge.

A estrada de asfalto segue pela GO-239, onde há uma entrada bem sinalizada à esquerda que leva à portaria onde você adquire os ingressos.

Depois você segue por estrada de terra até chegar ao estacionamento das cachoeiras.

A trilha não liga as três cachoeiras, ou seja, você terá que ir de carro até a Almécegas I, depois pegar o carro novamente para a Almécegas II e por fim pegar o carro para ir até a portaria onde se inicia a trilha para a São Bento (não precisa ser necessariamente nessa ordem).

Para a Cachoeira Almécegas I serão mais 3 km de estrada de terra e 1 km de trilha (só ida).

Já para a Cachoeira Almécegas II serão mais 5 km de estrada de terra e apenas 300 m de trilha (só ida) a partir do estacionamento.

Por fim, para acessar a São Bento são 300 m de caminhada a partir do estacionamento.

— Mais fotos

  • Foto Almécegas I Chapada dos Veadeiros
  • Foto Almécegas I Chapada dos Veadeiros
  • Foto Almécegas I Chapada dos Veadeiros
  • Foto Almécegas II Chapada dos Veadeiros
  • Foto São Bento Chapada dos Veadeiros

– Informações resumidas:

  • Base mais próxima: São Jorge
  • Localização: 8 km de Alto Paraíso e 30 km de São Jorge
  • Dificuldade: trilha de nível fácil (São Bento) e moderado (Almécegas I e II)
  • Ingresso: para as 3 cachoeiras R$ 70 / para a São Bento R$ 20
  • Necessidade de guia: não
  • Alimentação no local: sim

2 – Catarata dos Couros

Foto Catarata dos Couros Chapada dos Veadeiros - Naturam
Catarata dos Couros

A Catarata dos Couros, afastada cerca de 57 km de Alto Paraí­so (maior parte em estrada de terra), é uma das queridinhas dos locais e encanta todos os visitantes, considerada por muitos imperdí­vel.

Sabe aquela trilha que te mostra uma surpresa atrás da outra?

Então, lá é assim!

Aliás, ela ainda não é uma atração oficial do parque, mas tudo indica que em breve se tornará, o que é bom, pois assim ela ganha mais estrutura e segurança para o turista.

Foto Catarata dos Couros Chapada dos Veadeiros - Naturam
Catarata dos Couros

Em uma trilha de 6 km de ida e volta você encontrará uma grande quantidade de atrações, aliás, é exatamente o que faz da Catarata dos Couros um destino tão especial.

O caminho segue a margem do Rio dos Couros, e com isso você poderá curtir incontáveis banhos em águas transparentes que formam piscinas deliciosas.

É o tipo de roteiro que agrada quem busca passeios que tomam um dia inteiro sem repetir um ponto de banho sequer, e também não fica atrás quanto à beleza em relação às outras cachoeiras.

As principais atrações da Catarata dos Couros são:

  • Cachoeira Almécegas 1000
  • Cachoeira da Muralha
Foto Catarata dos Couros Chapada dos Veadeiros - Naturam
Catarata dos Couros (Almécegas 100 é a de cima)

Além disso, há diversos poços e prainhas pelas quais passamos na trilha que não possuem nome, mas que você pode curtir o visual ou se refrescar.

O final da trilha é marcado pelo mirante para o vale formado pelo Rio dos Couros, que oferece um visual deslumbrante.

Depois de curtir a paisagem, desça para a Cachoeira Almécegas 1000, onde dois diferentes poços garantem banhos excelentes.

Para chegar ao poço mais baixo, há uma descida íngreme, e em um ponto há até mesmo uma corda para te ajudar na descida, onde fazemos uma escalada.

Foto Catarata dos Couros Chapada dos Veadeiros - Naturam
Catarata dos Couros

Além disso, logo antes de chegar no poço, será necessário descer um paredão de pedras, então vá com cuidado para não escorregar e se segurando bem nas pedras.

Chegando lá embaixo, uma dica é atravessar o poço de baixo a nado, assim você chega até a ponta do vale, de onde você poderá vê-lo ainda mais de perto – porém isso só pode ser feito por pessoas que nadam bem e no período de seca, já que nesse poço de baixo a correnteza é mais forte, formando um “parafuso”.

Depois de curtir a paisagem, você pode voltar e aproveitar um mergulho no poço mais próximo à queda da Cachoeira Almécegas 1000.

Vale chegar até a cachoeira, mas só no período da seca, já que na temporada de chuva o poço forma redemoinhos que podem puxar para o fundo, tornando-se realmente perigosos.

Por fim, o caminho de volta da trilha continua a presentear com diversas atrações, entre elas banhos nas prainhas que se formam à beira do Rio dos Couros, até chegar à Cachoeira da Muralha.

Foto Catarata dos Couros Chapada dos Veadeiros - Naturam
Catarata dos Couros – Piscinas Almécegas 1000

Aliás, algumas dessas prainhas são banhadas por piscinas com borda infinita para o vale ou pequenas corredeiras que fazem as vias de hidromassagem natural. Espetacular!

Já a Cachoeira da Muralha possui diversas quedas d’água e seu poço tem trechos profundos e rasos.

Foto Catarata dos Couros Chapada dos Veadeiros - Naturam
Catarata dos Couros – Cachoeira da Muralha

É ideal para aquele banho no chuveirão da cachoeira – para isso, basta escalar as pedras que formam a parede da cachoeira.

Certamente, uma forma deliciosa de fechar o dia de passeio pela Catarata dos Couros, já que a Cachoeira da Muralha está bem pertinho do estacionamento.

– Como chegar

A Catarata fica entre BSB (Brasília) e Alto, e saindo de Alto são 53 km, sendo que 18 km são de asfalto pela GO-118 (sentido Brasília) e mais 35 km em estrada de terra, com entrada sinalizada à esquerda da rodovia.

O caminho é bem sinalizado nos primeiros 20 km. 

Entretanto, a metade final é cheia de bifurcações e com poucas placas indicativas.

Sendo assim, caso não queira ir com um guia, recomendamos usar algum aplicativo para chegar até lá.

Ou seja, se previna baixando o trajeto no Google Maps e tenha em mãos um app de trilha, como o Wikiloc (veja o caminho das Cataratas do Couro aqui).

Mas temos algumas dicas para te ajudar nesse trecho sem sinalização:

  • Após o povoado, fique atento à primeira bifurcação e entre à direita
  • Depois de cerca de 3 km haverá outra bifurcação, entre à esquerda
  • Por fim, na bifurcação seguinte, mantenha-se novamente à esquerda e siga então até o estacionamento

Lembre-se: 3 bifurcações depois do povoado, direita, esquerda, esquerda.

A Catarata dos Couros fica em área pública, porém, é comum por lá aquela situação desagradável onde alguns “vigias” pedem uma continuação para olhar o carro, insinuando que não sabe se estará tudo ok quando você voltar e dizendo que lá são comuns roubos de carro.

Enfim, a contribuição não é obrigatória.

A partir do estacionamento, a trilha segue por 3 km.

– Catarata dos Couros com guia

Foto Catarata dos Couros Chapada dos Veadeiros - Naturam
Cânion do Mirante Catarata dos Couros

Há uma trilha diferente para quem quer visitar a Catarata dos Couros com guia, por onde temos lindas vistas de mirantes que ficam de frente para a Almécegas 1000 e as outras quedas.

Porém, aqui vale um aviso – não recomendamos para pessoas com medo de altura ou pouco preparo físico.

Isso porque essa trilha é de nível difícil, com muita inclinação, e passa por trechos com penhascos.

– Onde comer

No estacionamento, há alguns quiosques que vendem suco natural e outras bebidas, além de açaí.

Assim que você chega no estacionamento da Catarata dos Couros você pode deixar encomendado o almoço nos restaurantes caseiros bem simples que encontramos nos assentamentos nos arredores.

Os restaurantes ficam abertos até as 17h e nada melhor que uma comidinha caseira para recuperar as energias depois da trilha.

O almoço custa cerca de R$ 40 por pessoa. Nós comemos na Dona Eleusa e adoramos!

– Informações resumidas:

  • Base mais próxima: Alto Paraíso
  • Localização: Fica no caminho entre Brasília e Alto, e a 53 km de Alto Paraíso sendo que 18 km são de asfalto e mais 35 km em estrada de terra
  • Dificuldade: trilha de nível fácil a médio (6 km ida e volta)
  • Wikiloc: Clique aqui
  • Ingresso: entrada gratuita (mas há a prática de vigia de carros no estacionamento).
  • Necessidade de guia: não (porém o local é mal sinalizado e há trechos muito perigosos, então é recomendado)
  • Alimentação no local: há alguns quiosques no estacionamento

3 – Cachoeira dos Cristais

Se busca uma cachoeira mais tranquila, para ir com toda a família e com infraestrutura, então o complexo da Cachoeira dos Cristais é uma excelente pedida!

Inclusive, é perfeita para ser colocada no roteiro num dia que você queira aproveitar para descansar e fazer algo mais leve.

A apenas 8 km de Alto Paraíso, a Cachoeira dos Cristais conta com diversos poços e quedas d’água para banho, alguns poços calmos como uma piscina, outros turbulentos, fazendo aquela deliciosa hidromassagem.

No geral é um percurso curto e bem fácil de ser percorrido, porém, com alguns declives – é basicamente descida na ida, e subida na volta.

O caminho da trilha possui diversas saídas à direita que te levam para pequenas quedas, várias com cantinhos para banho.

Aliás, logo após a sede já nos deparamos com um poço, o Poço da Vovó, raso, ótimo para as crianças.

Em ordem, você vai passar pelo Poço da Vovó, Massagem, Paraíso, Recanto da Paz, Corredeiras, Segredo e Véu da Noiva.

A principal atração da trilha é a última queda d’água, a famosa Cachoeira Véu da Noiva, formada por várias quedas, ótimas para banho, e com um poço bastante raso, ideal para quem não sabe nadar ou tem medo.

Além disso, são menos de 500 m até a Cachoeira dos Cristais pela trilha principal e se você quiser ir direto à ela, basta descer direto até o final da trilha.

As bifurcações para as quedas d’água não exigem longas caminhadas e os desvios são rápidos.

E no fim do passeio você ainda pode aproveitar um restaurante com um lindo jardim para recuperar as energias e descansar.

Além do restaurante, no local há uma lojinha, banheiros, mesas e diversos deliciosos decks de madeira para relaxar em um grande gramado – aproveite para estender a canga e curtir o visual ou o pôr do sol.

No entanto, a facilidade de acesso faz com que essa cachoeira fique bastante cheia nos fins de semana e períodos de férias escolares – portanto, prefira os dias de semana.

– Dica

De manhã cedo, a Cachoeira dos Cristais pega a luz do sol diretamente e, com isso, a água fica mais clarinha.

No período da tarde, a água fica mais à sombra, e por isso mais escura e um pouquinho mais gelada, o que é ótimo nos dias quentes.

– Como chegar

Como dissemos anteriormente, a Cachoeira dos Cristais fica a 8 km de Alto.

O caminho segue pela GO-118 rumo a Cavalcante por 5 km, onde há uma entrada à direita para a pista de terra (há placa indicativa) que segue por mais 3 km até a sede da cachoeira.

No local, há amplo estacionamento.

– Informações resumidas:

  • Base mais próxima: Alto Paraíso
  • Localização: a 8 km de Alto Paraíso e 45 km da Vila de São Jorge
  • Dificuldade: trilha de nível fácil (1 km ida e volta)
  • Ingresso: R$ 25
  • Necessidade de guia: não
  • Alimentação no local: há um restaurante

4 – Cachoeiras Loquinhas

Foto Loquinhas Chapada dos Veadeiros
Loquinhas – Poço Xamã

Outra ótima opção de cachoeiras com trilhas leves, onde é possível levar as crianças, é o complexo de cachoeiras da Fazenda Loquinhas

A Cachoeira Loquinhas possui fácil acesso e uma trilha com excelente estrutura, com caminhos de madeira, corrimãos e autoguiados – parece até que estamos num parque.

Além disso, tem diversas opções para banho, mas todas pequenas, não espere encontrar por lá grandes quedas.

Foto Loquinhas Chapada dos Veadeiros
Loquinhas – Poço Pajé

Mas o turquesa das águas cria um visual que faz com que o passeio valha a pena.

O trajeto total conta com três trilhas: a Trilha Violeta, a Trilha Loquinhas e a Trilha Ruby.

Alguns dos pontos altos do roteiro são o Poço Xamã, com uma nascente que deixa a água extremamente transparente, a Cachoeira do Poço do Sol e a cachoeira do Poço Pajé.

– Dica

Na época de chuva os poços ficam mais cheios, e no auge da seca alguns ficam praticamente vazios.

Além disso, a facilidade de acesso faz com que seja uma cachoeira muito visitada, portanto, prefira ir em épocas de menos movimento e durante a semana,

– Como chegar

O acesso à Cachoeira Loquinhas é por dentro da cidade de Alto Paraíso, a 4,4 km do centro, na Rua do Segredo.

Encontramos um amplo estacionamento no local.

O horário é das 8h 17h.

– Informações resumidas:

  • Base mais próxima: Alto Paraíso
  • Localização: a 4,4 km de Alto Paraíso e 41 km da Vila de São Jorge
  • Dificuldade: trilha de nível fácil (2,2 km de ida)
  • Ingresso: R$ 45
  • Necessidade de guia: não
  • Alimentação no local: não

5 – Cachoeiras Macaquinhos

Chapada dos Veadeiros - Complexo Cachoeira do Macaquinho foto
Complexo Cachoeira do Macaquinho

Quer vivenciar um pouco mais de aventura e conhecer uma cachoeira que dificilmente lota? Então a Cachoeiras Macaquinhos pode ser sua escolha.

Mas isso tem um preço – é difícil chegar até ela.

Bom, antes de mais nada, vá cedo!

O complexo Cachoeira Macaquinhos trata-se de uma trilha com várias cachoeiras esverdeadas, lindas, e ótimas para banho – então reserve o dia todo para curtir bem cada parada nas piscinas.

Situada em fazenda particular (RPPN) no sentido de Brasí­lia, possui uma trilha de nível moderado, mas o que torna o acesso realmente complicado são os 31 km de estrada de terra até o início da trilha.

O trecho é feito em cerca de 1h, e parece não terminar nunca. Recomendamos que faça de 4×4 pois nos 5 km finais, entrando na área de preservação ambiental, fica bem acidentada e com trechos difíceis de subir/descer.

Aliás, muitos recomendam deixar o carro na famosa placa dos 900 metros, principalmente se você não estiver com um 4×4 – é íngreme e escorregadio, e não é incomum carros 4×4 não conseguirem subir.

Na volta subir os 900 metros é muito cansativo, principalmente pelo cansaço que a trilha já causou, então faça esse trecho com calma. Uma máscara é uma boa por causa da poeira.

O local conta com boa estrutura (mas sem lanchonete ou restaurante) e área de camping com banheiros e bebedouro.

Enfim… a trilha! Ela é bem demarcada, tem cerca de 6 km de ida e volta, com subidas.

Quem vai relata que é um dos melhores passeios em relação à beleza do lugar – águas límpidas, lindas quedas e um cenário encantador.

A dica é ir até o último poço e depois voltar fazendo as paradas estratégicas onde mais interessar.

Então no total são 9 cachoeiras grandes e poços para banho ao longo de sua trilha.

A principal delas é a Cachoeira da Caverna, uma enorme queda de aproximadamente 50 metros que fica ao lado de uma caverna.

Mais abaixo, a Cachoeira do Encontro

O local é o único que disponibiliza uma cachoeira para nudismo, a Cachoeira do Banho Pelado

Outros atrativos no local: Cachoeira da Luz, Poço do Jump, Cachoeira Lunna, Poço Sereno, Pedra Furada e Banho dos Macacos.

Mesmo com todos esses atrativos, o complexo não é um dos locais mais visitados, então se tiver sorte durante a semana é possí­vel encontrar as piscinas praticamente exclusivas.

– Como chegar

Para chegar até a portaria da Cachoeira dos Macaquinhos na Chapada dos Veadeiros é necessário pegar a BR-020 sentido Brasília por 13 km saindo de Alto Paraíso.

Uma placa enorme indicará o início da estrada de terra pela esquerda, pela qual você seguirá por 31 km.

A estrada não é bem sinalizada e nas bifurcações podem não haver placas, portanto é fácil se perder.

Leva-se de carro em torno de 1 hora até chegar na placa indicativa de estacionamento para carros não traçados (placa de 900 metros).

É muito importante que todos que não tenham carro 4×4 parem seu veículo nessa placa pois o último km tem uma descida vertical em péssimas condições muito difícil de subir.

Importante: o Google Maps, após 9 km na estrada de terra, mandará você virar à esquerda, MAS SIGA SEMPRE AS INDICAÇÕES DAS PLACAS, que nesse trecho indica o caminho à direita (ou reto).

A trilha tem duração de aproximadamente 6 km ida e volta sendo de difícil acesso, com muito declive e escadarias.

– Dicas

Não vá em dias de chuva, pois a estrada de terra e as cachoeiras ficam perigosas.

Além disso, no TripAdvisor encontramos relatos de pessoas que disseram que não puderam entrar depois das 14h, portanto, tente chegar cedo, até porque é um passeio do qual deve-se reservar o dia inteiro.

O horário de funcionamento é das 8h às 17h.

– Informações resumidas:

  • Base mais próxima: Alto Paraíso
  • Localização: a 44 km de Alto Paraíso, sentido BSB
  • Dificuldade: trilha de nível moderado a difícil (6 km ida e volta)
  • Ingresso: R$ 40 (dinheiro)
  • Necessidade de guia: Recomendado ir com guia local
  • Alimentação no local: na entrada é possível comprar água, refrigerante e cerveja

6 – Cachoeiras Anjos e Arcanjos

Um lugar incrível para você conhecer na Chapada dos Veadeiros são as Cachoeiras Anjos e Arcanjos.

Localizadas no Parque Solarion, essas imponentes cachoeiras ficam um pouco fora da rota turística tradicional, mas que certamente valem a pena visitar.

Isso faz com que ela seja pouco visitada, uma boa notícia para quem está em busca de lugares mais tranquilos.

Outro motivo para isso é que o acesso é através de estrada de terra – são cerca de 16 km.

As duas belas quedas do Rio Pretinho oferecem ótimos poços para banho.

Além disso, o local permite a entrada de cachorros.

A trilha possui cerca de 1,8 km de ida e 1,8 km de volta, e com trechos bastante íngremes.

Depois de percorrer um pouco mais da metade da trilha ela se divide – um caminho te levará para a Cachoeira dos Anjos e outra para a Cachoeira dos Arcanjos.

Cachoeira dos Arcanjos

O caminho para a Cachoeira dos Arcanjos é um pouco mais puxado, então se você prefere deixar os trechos mais fáceis para fazer por último, comece indo para a Cachoeira dos Arcanjos, seguindo a trilha à esquerda.

Nela é possível nadar em um grande poço, profundo de água levemente escura, mas extremamente limpa e também gelada.

A queda das águas formam pequenas escadas que surgem ao longo da descida do rio. 

Há inclusive uma grande banheira natural ao lado da queda da cachoeira que só é possível entrar no período de seca.

Cachoeira dos Anjos

Já a Cachoeira dos Anjos fica abaixo da Cachoeira dos Arcanjos, seguindo pelo caminho à direita.

Formada sob um mini cânion, possui uma piscina grande e sua queda tem aproximadamente 30 metros. As águas são bem geladas o ano inteiro.

– Como Chegar

Para chegar nas Cachoeiras Anjos e Arcanjos na Chapada dos Veadeiros você deve seguir por estrada de terra de cerca de 14km a partir de Alto Paraíso, até a chegada no povoado do Moinho.

Depois, é preciso percorrer mais 2 km – há placas de sinalização até a chegada ao local.

A estrada até o Moinho é bastante sinuosa, mas em compensação tem um belo visual do cerrado.

Ao chegar no local você fará o pagamento do ingresso (cerca de R$ 15) e seguirá pela trilha de nível moderado.

A trilha em si é pouco sinalizada, por isso é preciso prestar atenção, especialmente para chegar à Arcanjos. Neste trecho há pequenos desafios no final da trilha, já que tem muitas pedras para subir e descer. Bem próximo à cachoeira há uma descida de pedras com cordas para ajudar. É preciso descer com bastante cuidado. O trecho final é de difícil acesso porém curto.

– Informações resumidas:

  • Base mais próxima: Alto Paraíso
  • Localização: 16 km de Alto Paraíso (todo de estrada de terra)
  • Dificuldade: trilha de nível moderado (3 km ida e volta – há uma descida difícil no final da Cachoeira dos Arcanjos)
  • Ingresso: R$ 25
  • Necessidade de guia: não
  • Alimentação no local: não
  • É permitido entrar com cachorro

7 – Cachoeira Sertão Zen

A trilha no Sertão Zen na Chapada dos Veadeiros é uma trilha longa, de fato.

Mas não é qualquer trilha! Fazer uma caminhada por cima dos chapadões da Serra da Baliza, não tem preço!

De lá temos vistas incríveis de Alto Paraíso e Serra da Baleia ao fundo, com cenários que se assemelham ao “Jardins Zen japoneses”.

O fim da trilha é marcado por uma linda cachoeira com 150 de altura, a Cachoeira Sertão Zen (alguns a chamam de Cachoeira do Elo Perdido) e uma bela visão panorâmica.

Antes de chegar até esse local, existem vários locais com pequenas quedas d’água, boas para tomar banho, na cabeceira do Rio Macacão.

Porém, isso tem um preço – uma caminhada de 18 km ida e volta.

É com toda a certeza uma oportunidade única para quem gosta de trilha e para quem quer ter um contato mais profundo com a fauna e flora do cerrado.

O Sertão Zen porém, é bastante selvagem e é necessário a contratação de guia já que é fácil se perder por lá.

Além disso, mais para o fim da trilha o caminho é pelas pedras, portanto, cuidado redobrado onde e como pisa – trecho mais difícil da trilha.

Vale lembrar que em épocas de chuva é possível que você não consiga chegar na cachoeira. 

– Informações resumidas:

  • Base mais próxima: Alto Paraíso
  • Localização: 8 km de Alto Paraíso
  • Dificuldade: trilha de nível moderado (18 km ida e volta)
  • Necessidade de guia: sim
  • Alimentação no local: não

8 – Cachoeira Poço Encantado

Foto Cachoeira Poço Encantado Chapada dos Veadeiros
Cachoeira Poço Encantado

A Cachoeira Poço Encantado já está um pouco mais distante de Alto, localizada no caminho entre Alto Paraíso e Cavalcante, mais especificamente, em Teresina de Goiás.

É com toda a certeza uma excelente opção de cachoeira para quem está viajando entre as duas cidades base da Chapada dos Veadeiros e quer aproveitar para um banho no caminho.

Também recomendamos fortemente para famílias que estão com crianças, idosos e pessoas com menos preparo físico, já que não é necessário fazer trilha para chegar nela.

Além disso, tem fácil acesso pela pela GO-118 e excelente infraestrutura.

Sua infraestrutura conta com restaurante, lanchonete, banheiros, pousada e até aluguel de pranchas de SUP para curtir dentro da água.

Mas a queda de 38 metros do Poço Encantado é o que faz valer a pena a visita!

É um espetáculo de águas que, à medida que caem pelo paredão, formam diversas quedas.

Não deixe de nadar até a cachoeira para tomar aquele delicioso banho sob a queda.

Foto Cachoeira Poço Encantado Chapada dos Veadeiros
Cachoeira Poço Encantado

Inclusive, não podemos deixar de mencionar a prainha de areia à beira da cachoeira, que agrada e muito às crianças.

O nome “Poço Encantado” tem origem em histórias contadas pelos antigos moradores da fazenda, que diziam haver um diamante no fundo do poço. E nas noites de lua cheia a pedra preciosa se movimentava e produzia um clarão que, mesmo de longe, podia ser avistado.

– Como chegar

A Cachoeira Poço Encantado está localizada a 52 km de Alto Paraíso, rumo à cidade de  Cavalcante pela GO-118.

O acesso é praticamente todo em estrada de asfalto.

O percurso de estrada de terra (em boas condições) que leva à lanchonete da cachoeira tem cerca de 2 km, e da lanchonete até a Poço Encantado são apenas mais 200 m de caminhada leve por um caminho tranquilo de ser percorrido de pedras e concreto e uma ponte pênsil que atravessa o rio, que agradará em cheio às crianças.

O trajeto leva por volta de 5 minutos andando.

Para se ter uma idéia da facilidade de acesso, da rodovia GO-118, na altura do km 216, já se pode avistar a parte superior da cachoeira.

– Informações resumidas:

  • Base mais próxima: Cavalcante
  • Localização: a 52 km de Alto Paraíso, 93 km da Vila de São Jorge e 36 km de Cavalcante (fica em Teresina de Goiás)
  • Dificuldade: trilha de nível fácil (praticamente não há trilha)
  • Ingresso: R$ 50 (valores atualizados aqui)
  • Necessidade de guia: não
  • Alimentação no local: sim

9 – Jardim de Maytrea

Foto Jardim Maytrea Chapada dos Veadeiros
Jardim Maytrea Chapada dos Veadeiros

Um dos cartões postais da Chapada dos Veadeiros é o Jardim de Maytrea, parada obrigatória para quem gosta de um registro fotográfico.

Situado na beira da estrada GO-239, entre Alto Paraíso e São Jorge, o Jardim de Maytreia é considerado por muitos um local de energia í­mpar, dizem que lá há um portal para outra dimensão.

Sua paisagem que representa a Chapada é composta por um imenso campo de buritis, veredas, campos floridos e montanhas ao fundo como o Morro da Baleia (que de fato lembra uma baleia quando visto de longe), e o Morro do Buracão.

A parada obrigatória é no pôr do sol que é um dos mais bonitos da região, é só parar o carro no acostamento e apreciar o espetáculo – absolutamente emocionante.

Vale lembrar que o acesso ao interior do Jardim de Maytrea está dentro da área do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, e portanto, não é permitido ao público com finalidade de proteger e regenerar a área. 

Por fora da cerca, é possível ter noção da dimensão da beleza desse pedacinho encantado da Chapada dos Veadeiros.

É comum, especialmente ao final da tarde, ver filas de carros parados à beira da estrada para apreciar o Jardim de Maytrea. 

É, com toda a certeza, a mais clássica vista da Chapada dos Veadeiros.

– Como chegar

O Jardim de Maytrea está localizado às margens da GO-239, entre Alto Paraíso de Goiás e a Vila de São Jorge. 

O ponto exato é identificado por uma discreta placa ao longo da rodovia.

Para quem está em Alto Paraíso, são  20 km de percurso. Já para quem está em São Jorge, são 16 km.

Ao avistar o Morro da Baleia, fique atento. Você estará bem próximo. 

Os carros ficam estacionados próximos ao acostamento, onde há um recuo na mata e uma pequena trilha de acesso ao local.

– Informações resumidas:

  • Base mais próxima: Alto Paraíso
  • Localização: 20 km de Alto Paraíso
  • Dificuldade: fácil
  • Ingresso: não há
  • Necessidade de guia: não
  • Alimentação no local: não (não há infraestrutura)

10 – Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros

Foto Placa Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros
Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros

O Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros (PNVC) é uma das atrações mais procuradas da Chapada.

Todos os anos cerca de 60 mil pessoas visitam o Parque atrás de trilhas e cachoeiras.

O parque ocupa uma área de mais de 240 mil hectares com ampla área protegida, abrigando 5 municípios.

Mas o legal é que o Parque criou um percurso muito bem organizado, localizado em São Jorge, com trilhas bem demarcadas que levam a lindas paisagens e a cachoeiras espetaculares.

Consequentemente, a visita ao parque não requer contratação de guia.

Na realidade, este percurso compõem as antigas rotas usadas por garimpeiros, que hoje são utilizados pelos visitantes.

Em suma, são 5  trilhas que fazem parte do percurso:

  1. Trilha dos Saltos
  2. Trilha Carrossel
  3. Trilha dos Cânions
  4. Trilha das Sete Quedas
  5. Trilha da Siriema

Ao passar pela entrada do Parque Nacional, todos os turistas são convidados a assistirem a um vídeo educativo no Centro de Atendimento ao Turista do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, que demonstra cuidados básicos para evitar acidentes e proteger a Chapada dos Veadeiros.

O vídeo também explica o funcionamento dos percursos e das trilhas, cada uma com uma cor específica.

Em seguida falaremos sobre cada uma dessas trilhas e depois falaremos das outras cachoeiras que encontramos nos arredores de São Jorge.

– Como chegar

A partir do centro de São Jorge, serão 1 km de estrada de terra até a portaria do parque.

As vagas disponíveis para estacionamento são em local privativo (não pertencentes ao parque) e há cobrança de uma taxa.

Outra opção é deixar o carro no centro de São Jorge e subir a pé.

– Dicas

Dentro do parque, não há locais para compra de comidas ou bebidas. 

Na portaria, há banheiros e bebedouros. Do lado de fora, quiosques e barracas vendem lanches e bebidas aos turistas.

– Informações resumidas:

  • Base mais próxima: São Jorge
  • Localização: 1 km do centro de São Jorge e 37 km de Alto Paraíso
  • Dificuldade: trilhas de variados níveis (confira cada uma delas a seguir)
  • Ingresso: R$ 20
  • Necessidade de guia: não
  • Alimentação no local: não
  • Estacionamento pago: sim
  • Horário: Aberto de terça a domingo. Em casos de feriado na segunda-feira, o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros permanecerá aberto neste dia, fechando no primeiro dia útil subsequente. Nos meses de janeiro e julho o Parque fica aberto todos os dias. A entrada é permitida das 8h às 12h e a saída até às 18h.

Compre online os ingressos para o Parque Nacional

11 – Trilha dos Saltos, Carrossel e Corredeiras (PNVC)

Foto Trilha dos Saltos - Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros
Trilha dos Saltos – Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros

É certamente um dos passeios mais exuberantes da região!

O nome das cachoeiras se dá devido às suas alturas: 120 metros e 80 metros, e o roteiro promete lindas vistas para cada uma delas.

Em resumo, a Trilha dos Saltos, Carrossel e Corredeiras inclui um mirante para o Salto de 120 e outro mirante para o Salto de 80, onde também é possível tomar um delicioso banho.

Mas as atrações não param por aí!

Além dos saltos, também estão no roteiro o Mirante da Cachoeira do Carrossel e as Corredeiras do Rio Preto.

No total são 11 km de trilha (ida e volta) percorrendo o intenso cerrado que recobre o parque nacional, com aclives e declives.

Apesar de não ser uma trilha difícil, sua extensão exige um mínimo de preparo físico para aguentar a caminhada.

Entretanto, as pessoas com dificuldade de locomoção têm a possibilidade de solicitar acesso de carro para diminuir o percurso, então de 11 km a trilha passa a ter cerca de 3,5 km. Show né?

Assim o banho está garantido a todos!

– A trilha

Como mencionamos anteriormente, os passeios do parque começam com um vídeo explicativo, onde são passadas orientações básicas de percurso.

A Trilha dos Saltos é identificada pelas flechas amarelas, desenhadas em diversos pontos do parque e facilmente seguidas pelos turistas. Não tem erro!

Depois de 4 km de caminhada encontramos o desvio para a primeira atração da Trilha dos Saltos, o Mirante do Salto de 120, que permite ver bem do alto a queda com 120 m de altura.

Foto Salto 120 na Trilha dos Saltos - Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros - Naturam
Salto 120

O acesso é por um pequeno desvio na trilha principal, que indica a entrada para o mirante.

O Salto de 120 só pode ser visto do mirante e não há trilha para chegar ao poço. 

Logo depois, com mais 800 m de caminhada, você chegará ao Mirante do Salto de 80.

Apesar de o acesso à queda d’água não ser permitido, você ainda pode curtir as águas do rio que se forma logo depois da cachoeira, com direito a visual panorâmico para o Salto de 80.

No local, há serviço de guarda-vida para garantir que nenhum turista ultrapasse os limites permitidos, colocando em risco a própria vida. 

Por fim, saindo do Salto de 80, temos o caminho de volta. É uma subida com quase 1 km e exige bastante fôlego, mas há bancos estrategicamente posicionados para ajudar a recuperar o fôlego.

Ultrapassada essa parte, a caminhada segue até o Mirante do Carrossel. Lá andamos por passarelas de madeira e temos acesso à uma vista incrível da Cachoeira do Carrossel.

Foto Carrossel Trilha dos Saltos - Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros - Naturam
Cachoeira do Carrossel

Depois seguimos até chegar às Corredeiras do Rio Preto.

Aqui você pode realmente curtir sem pressa.

Aproveite ao máximo para relaxar nas diversas piscinas naturais e pequenas quedas que servem de hidromassagem.

Foto Corredeiras Trilha dos Saltos - Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros - Naturam
Cachoeira das Corredeiras

Para quem tem dificuldade de locomoção é possível pedir permissão para acessar as corredeiras de carro, onde há uma plataforma suspensa de madeira que auxilia cadeirantes e pessoas com mobilidade reduzida até o final do percurso.

Porém, não se esqueça que ainda falta um longo caminho para o retorno, e depois de 3,5 km chega-se ao fim da trilha, na portaria do Parque Nacional.

– Informações resumidas:

  • Base mais próxima: São Jorge
  • Localização: 1 km do centro de São Jorge e 37 km de Alto Paraíso
  • Dificuldade: trilha moderada (10 km ida e volta)
  • Ingresso: R$ 20
  • Necessidade de guia: não
  • Alimentação no local: não
  • Limite de pessoas: 250 por dia
  • Horário: Aberto de terça a domingo. Em casos de feriado na segunda-feira, o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros permanecerá aberto neste dia, fechando no primeiro dia útil subsequente. Nos meses de janeiro e julho o Parque fica aberto todos os dias. A entrada é permitida das 8h às 12h e a saída até às 18h.

Compre online os ingressos para o Parque Nacional

12 – Trilha dos Cânions e Cariocas (PNVC)

Chapada dos Veadeiros - Cânion I
Cânion I – Foto por Ariane Rocha

Um pouco mais longa que a Trilha dos Saltos, a caminhada entre os Cânions I e II e a Cachoeira Cariocas tem cerca de 12km ida e volta.

Ainda assim, trata-se de um dos maiores clássicos da Chapada dos Veadeiros graças às suas belas paisagens.

Apesar da distância, o terreno é mais plano comparado com a Trilha do Saltos, podendo ser visitada tranquilamente por pessoas com menos preparo físico.

Mas há muitas pedras no percurso, um pouco de sobe desce e uma descida í­ngreme no final para chegar até a Cachoeira Cariocas.

E acredite, o visual do cerrado ao longo do passeio faz cada minuto valer a pena!

A Trilha dos Cânions, assim como as outras trilhas do parque, começa com um vídeo explicativo na portaria do parque e é totalmente autoguiada – basta seguir as placas com setas vermelhas para chegar às atrações.

Depois de 6 km de caminhada temos acesso à primeira atração da trilha, o Cânion II – um lugar espetacular com diversos pontos para banho, podendo vê-lo do alto, de baixo e até nadar no enorme poço dele.

Com pique, será possível vencer a correnteza, entrar no cânion e subir pelas pedras laterais para curtir o visual.

Entretanto, é importante dizer que no período não é possível entrar no cânion devido ao risco de tromba d’água.

Depois, para ir à próxima atração, volte a trilha até a bifurcação anterior (800 m) e siga então por 1,8 km para a Cachoeira dos Cariocas – uma das mais espetaculares cachoeiras na Chapada dos Veadeiros.

A atenção deve-se às partes de descida íngreme no trecho final, pois é necessário uma leve escalaminhada entre as pedras para ter sua melhor visão.

A Cachoeira dos Cariocas possui 2 quedas principais que se transformam em várias e também um grande poço para nadar – dá para curtir e relaxar nesse local por um bom tempo.

Por fim, a partir da Cachoeira da Cariocas a trilha que leva de volta à sede do Parque Nacional tem mais 3,5 km.

– Informações resumidas:

  • Base mais próxima: São Jorge
  • Localização: 1 km do centro de São Jorge e 37 km de Alto Paraíso
  • Dificuldade: trilha de nível fácil (12 km ida e volta)
  • Ingresso: R$ 20
  • Necessidade de guia: não
  • Alimentação no local: não
  • Limite de pessoas: 200 por dia
  • Horário: Aberto de terça a domingo. Em casos de feriado na segunda-feira, o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros permanecerá aberto neste dia, fechando no primeiro dia útil subsequente. Nos meses de janeiro e julho o Parque fica aberto todos os dias. A entrada é permitida das 8h às 12h e a saída até às 18h.

Compre online os ingressos para o Parque Nacional

13 – Travessia das Sete Quedas, com pernoite em camping dentro do parque (PNVC)

Travessia sete quedas foto
Travessia das sete quedas – Foto por Ariane Rocha

A Travessia das Sete Quedas, também localizada no Parque Nacional, é a trilha mais difícil do parque, sendo percorrida em 2 ou 3 dias.

Aberta apenas na época da seca, são 23,5 km de trilha que geralmente é feita acampando, e por isso é necessário reserva (encontre uma agência ou guia diretamente no site do ICMBio).

A trilha é linda e a área de camping conta com banheiro seco. Como ainda é pouco visitada, torna-se mais um motivo para curtir esse pedaço do parque.

Atenção: O final da travessia é fora da área do Parque Nacional, na beira da estrada, então o visitante precisa contratar um resgate ao final do percurso.

– Informações resumidas:

  • Base mais próxima: São Jorge
  • Localização: 1 km do centro de São Jorge e 37 km de Alto Paraíso
  • Dificuldade: trilha de nível muito difícil (23,5 km ida e volta) – pode ser percorrida em 2 ou 3 dias e é preciso agendamento prévio para fazê-la. Esta trilha está aberta na estação seca, de junho a outubro.
  • Ingresso: R$ 20
  • Necessidade de guia: sim
  • Alimentação no local: não
  • Limite de pessoas: 30 por dia
  • Horário: Aberto de terça a domingo. Em casos de feriado na segunda-feira, o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros permanecerá aberto neste dia, fechando no primeiro dia útil subsequente. Nos meses de janeiro e julho o Parque fica aberto todos os dias. A entrada é permitida das 8h às 12h e a saída até às 18h.

Compre online os ingressos para o Parque Nacional

14 – Trilha da Seriema (PNVC)

Foto Seriema Trilha dos Saltos - Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros - Naturam
Cachoeira da Seriema

A Trilha da Seriema no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros é uma trilha bem curtinha.

Tem 800 m e é perfeita para pessoas com dificuldade de locomoção, como idosos e crianças.

Em época de seca não há muito o que admirar, mas vale a caminhada para curtir o visual.

Para percorrê-la basta seguir as setas azuis.

Se sobrar tempo e disposição depois da Trilha dos Saltos ou da Trilha dos Cânions, vale a pena dar uma passada para conhecer as quedas da Siriema.

– Informações resumidas:

  • Base mais próxima: São Jorge
  • Localização: 1 km do centro de São Jorge e 37 km de Alto Paraíso
  • Dificuldade: trilha de nível muito fácil (800 metros ida e volta)
  • Ingresso: R$ 20
  • Necessidade de guia: não
  • Alimentação no local: não
  • Limite de pessoas: 30 por dia
  • Horário: Aberto de terça a domingo. Em casos de feriado na segunda-feira, o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros permanecerá aberto neste dia, fechando no primeiro dia útil subsequente. Nos meses de janeiro e julho o Parque fica aberto todos os dias. A entrada é permitida das 8h às 12h e a saída até às 18h.

Compre online os ingressos para o Parque Nacional

15 – Vale da Lua

Foto Vale da Lua Chapada dos Veadeiros - Naturam
Vale da Lua

O Vale da Lua está entre as paisagens mais famosas da Chapada dos Veadeiros e também entre as atrações mais visitadas da região.

Além disso, é um atrativo daqueles que você consegue conhecer mesmo com pouco tempo, pois a trilha para chegar até o vale tem apenas 600 metros.

Ele está em uma propriedade particular, na estrada que liga Alto Paraí­so e São Jorge.

É uma boa opção para os dias em que deseja conhecer mais de uma atração no dia já que você consegue fazer a visita em poucas horas, mas claro que se estiver com mais tempo, vale passar mais tempo ali se refrescando e observando as formações tão exóticas – além de render lindíssimas fotos.

Como mencionamos anteriormente, a trilha é bem curtinha, são apenas 600 metros para chegar ao ponto principal, sua formação peculiar lembra o solo da lua – a força do curso d’água constante do Rio São Miguel fez com que as rochas tomassem forma ao longo do tempo (e muito tempo!).

Foto Vale da Lua Chapada dos Veadeiros - Naturam
Vale da Lua

O lugar rende altas fotos e há algumas piscinas naturais, na época de chuva o atrativo pode fechar se apresentar risco, pois o ní­vel d’água aumenta muito.

Vale ressaltar que o fácil acesso e a proximidade de Alto Paraíso e São Jorge fazem do Vale da Lua um lugar bastante disputado entre os turistas.

Sendo assim, se quiser visitá-lo com calma e bem vazio, prefira ir nos dias de semana e no início da manhã, pois em dias de grande movimento cada pedacinho dele estará disputado.

Na entrada, há banheiros e uma pequena lanchonete.

– Informações resumidas:

  • Base mais próxima: São Jorge
  • Localização: 9 km de São Jorge e 35 km de Alto Paraíso (3,5 km em estrada de terra até o estacionamento)
  • Dificuldade: trilha de nível fácil (1,2 km ida e volta)
  • Ingresso: R$ 40
  • Necessidade de guia: não
  • Alimentação no local: sim, há uma pequena lanchonete

16 – Cordovil, Esmeraldas, Encontro e Rodeador – Santuário Fazenda Volta da Serra

Foto da Trilha do Cordovil, Esmeraldas, Encontro e Rodeador - Santuário Fazenda Volta da Serra Chapada dos Veadeiros
Trilha do Cordovil, Esmeraldas, Encontro e Rodeador – Santuário Fazenda Volta da Serra

Pensa em um lugar pouco conhecido, mas absolutamente encantador!

Em nossa opinião, a beleza do Santuário Fazenda Volta da Serra é de cair o queixo.

A trilha localizada dentro da Fazenda Volta da Serra leva a 4 atrações – Cachoeira do Cordovil, Poço das Esmeraldas, Cachoeira do Encontro e Cachoeira Rodeador.

Possui 9 km de trilha (ida e volta) e a sugestão é ir até a Cordivil e depois voltar parando nas outras cachoeiras.

No entanto, a Cachoeira do Rodeador pode estar fechada dependendo das chuvas para não ter risco, mas ainda assim o passeio vale a pena!

O acesso é fácil, por estrada de terra de cerca de 2 km até o estacionamento, e a trilha no geral é de nível fácil a moderado (só quando vai chegando no Cordovil que ela fica mais difícil, sendo necessário passar pelas pedras).

Dica: a trilha também pode ser feita de bike!

– Cachoeira do Cordovil

Foto Cachoeira do Cordovil Chapada dos Veadeiros - Naturam
Cachoeira do Cordovil

A belíssima queda da Cachoeira do Cordovil possui 44 metros de altura, e seu poço possui 3 metros de profundidade no ponto mais fundo.

É um lugar muito bonito, e apreciamos a beleza da queda desde a primeira vez que a avistamos, caminhando pelas pedras.

O local é bem aberto e pega bastante luz solar o dia todo.

Porém, o que chamou a atenção foram os paredões de pedra e o esmeralda da água.

Aliás, vale ressaltar aqui que esse trecho final da trilha (cerca de 1,3 km) para chegar até a Cordovil é a mais difícil.

O percurso tem muita inclinação, ou seja, muito sobre e desce, e a pior parte é logo antes de chegar à cachoeira, quando temos que caminhar pelas pedras, portanto, cuidado redobrado nessa hora! 

Mas assim que avistar a queda saberá que o esforço valeu muito a pena.

Até o Cordovil são cerca de 3,5 km de trilha.

– Cachoeira do Encontro

Foto da Cachoeira do Encontro Chapada dos Veadeiros - Naturam
Cachoeira do Encontro

Voltando do Cordovil, depois de 300 metros temos acesso à trilha que vai para a Cachoeira do Encontro.

É uma trilha curta e tranquila, e a Cachoeira do Encontro possui lindas quedas e enormes pedras por onde podemos descansar sob as árvores.

– Poço das Esmeraldas

Foto do Poço das Esmeraldas Chapada dos Veadeiros - Naturam
Poço das Esmeraldas

Seguindo a trilha de volta, a próxima atração que temos acesso é o Poço das Esmeraldas, absolutamente apaixonante!

O lugar é maravilhoso e a água faz jus ao nome, com tom esmeralda.

A trilha para o Poço das Esmeraldas sai da trilha principal e é bem curta, e o trecho final é bastante íngreme.

Para acessar o poço é necessário saber nadar, já que temos que atravessar um pequeno rio.

Mas mesmo que você não saiba nadar, a vista em si já é inacreditável, então vale a pena conhecer.

– Cachoeira do Rodeador

Por fim, voltando pela trilha principal, depois de quase 3 km, temos acesso à Cachoeira do Rodeador.

Na realidade ela é a primeira atração depois do estacionamento, a cerca de 700 metros do início da trilha, mas que normalmente é deixada por último.

É uma trilha fácil de ser feita, porém só pode ser feita nos períodos de seca.

– Como chegar

A Fazenda Volta da Serra fica próxima a São Jorge e a cerca de 5 km do Vale da Lua.

Há placas indicativas apontando para a entrada na GO-239 e você pode procurar no Google Maps como “Acesso ao Poço das Esmeraldas”.

Saindo da GO-239 são cerca de 2 km de estrada de terra até a portaria, onde você adquire o ingresso e recebe todas as informações sobre a trilha.

Depois são mais 2 km até o estacionamento, onde se inicia a trilha.

A trilha possui cerca de 9 km (ida e volta), e tem nível fácil a moderado.

O Santuário Volta da Serra também oferece hospedagem (chalés e camping)

– Informações resumidas:

  • Base mais próxima: São Jorge
  • Localização: 9 km de São Jorge e 28,2 km de Alto Paraíso (cerca de 4 km em estrada de terra até o estacionamento)
  • Dificuldade: trilha de nível fácil a moderado (9 km ida e volta)
  • Ingresso: R$ 50
  • Necessidade de guia: não
  • Alimentação no local: sim (no centro de visitantes eles vendem café, mel, castanha baru, banana passa).

17 – Cachoeira do Segredo

Chapada dos Veadeiros - Cachoeira dos Segredos foto
Cachoeira dos Segredos

Uma das cachoeiras mais bonitas da Chapada dos Veadeiros.

Próxima de São Jorge, o acesso para a Cachoeira do Segredo é por trilha de nível moderado, com 9 km de caminhada (ida e volta).

A paisagem que se tem é diferente da do parque, com uma mata mais fechada, um lindo caminho onde cruza-se o rio mais de 10 vezes durante o percurso.

No maravilhoso e encantador percurso, com lindas paisagens, há diversas paradas para banho em piscinas naturais, sendo a melhor delas uma deliciosa prainha com piscina transparente, decks de madeira e muito sol para aquecer o corpo.

E como a água da Cachoeira do Sossego costuma ser bem gelada, esse é um bom local para um banho.

A trilha é bem sinalizada, quase toda em mata com sombra e com poucos desníveis. Há cordas que auxiliam a passagem pelos rios e setas que indicam o caminho. 

O fim da trilha guarda então uma preciosidade, e é daí que vem seu nome.

A linda e imponente Cachoeira dos Segredos tem uma queda de 115 metros de altura e um belo poço bem gelado é mais que revigorante!

No entanto, fique sempre atento às placas que alertam para risco de queda e, principalmente, hipotermia.

Sim! As águas da Cachoeira do Segredo são muito geladas, e como não pega muito sol e venta bastante, o corpo demora para esquentar – é comum ver as pessoas saindo da água trincando os dentes.

Sendo assim, leve toalha e até um casaco para vestir depois do banho.

Ainda que a Cachoeira do Segredo seja muito gelada, a trilha é maravilhosa e o visual da cachoeira incrível.

– Como chegar

Saindo de São Jorge, você seguirá no sentido oposto a Alto Paraíso, pela GO-239 por 11 km.

Depois você entrará à esquerda em estrada de terra (há placa indicativa na pista que indica a cachoeira).

Siga por 8 km por estrada de terra (atravessando os rios através de pontes) até chegar à sede.

– Informações resumidas:

  • Base mais próxima: São Jorge
  • Localização: 19 km de São Jorge e 55,8 km de Alto Paraíso (cerca de 8 km em estrada de terra até o estacionamento)
  • Dificuldade: trilha de nível moderado (9 km ida e volta)
  • Ingresso: R$ 50
  • Necessidade de guia: não
  • Alimentação no local: não

18 – Cachoeira Raizama

A Cachoeira Raizama fica em um circuito com cerca de 2,3 km ida e volta, passando por piscinas naturais entre cânions, mirantes, Salto do Raizama (contemplação) e uma hidromassagem natural.

É uma trilha fácil de percorrer, bem demarcada e portanto, uma ótima opção de passeio para descansar entre trilhas pesadas ou fazer em meio período.

Pode-se dizer que a única complicação no percurso seriam as descidas em escadarias naturais cavadas nas pedras, mas ainda assim é fácil e seguro.

A Cachoeira Raizama é formada pelo encontro das águas das corredeiras do Rio Raizama e do Rio São Miguel, onde é possível fazer paradas durante a caminhada para se banhar nos trechos que formam piscinas e hidromassagens naturais.

O caminho segue sobre plataformas de madeira que dão acesso a pequenos mirantes de onde você pode avistar a cachoeira além do Cânion do Rio São Miguel.

Os paredões de pedra que cercam a Cachoeira Raizama, queda de 40 m de altura, fazem dela um excelente ponto para a prática de canionismo (canyoning) e rapel.

– Como chegar

Está localizada em propriedade cujo o acesso é pela rodovia GO-239 por 2,5 km saindo da Vila São Jorge e depois mais 1 km de estrada de terra.

– Informações resumidas:

  • Base mais próxima: São Jorge
  • Localização: 3,5 km de São Jorge e 40,3 km de Alto Paraíso (cerca de 1 km em estrada de terra até o estacionamento)
  • Dificuldade: trilha de nível fácil (2,3 km ida e volta)
  • Ingresso: R$ 40
  • Necessidade de guia: não
  • Alimentação no local: não

19 – Cachoeira Morada do Sol

As belezas naturais da Cachoeira Morada do Sol superam as expectativas das pessoas que a visitam.

Isso porque na propriedade você encontrará diversas piscinas naturais (muitas com peixinhos), além de muitas quedas e os lindos cânions do Rio São Miguel.

O acesso à cachoeira é fácil, fica a apenas cerca de 6 km da Vila de São Jorge, no sentido Colinas do Sul, sendo que 3,5 km são feitos na GO-239 e o restante em estrada de terra.

Aliás, assim que você sai da GO-239 você avistará um restaurante de comida caseira, porém, eles só trabalham com encomendas.

Então se você quiser aproveitar e comer por lá na volta, basta fazer uma encomenda quando chegar, antes de ir para a cachoeira.

Continuando, da recepção até o estacionamento principal são cerca de 2 km.

Depois, a partir do estacionamento, já temos acesso às trilhas que levarão as atrações – todas curtas e de nível fácil a moderado, com menos de 1km, com alguns trechos íngremes.

A trilha se divide em 3 partes, conta com cabos de aço para ajudar na caminhada e leva para 4 atrações na propriedade:

  • Vale das Andorinhas: Mirante para cânions lindíssimos com quedas d’água para contemplação, um trecho da trilha necessita de ajuda de cordas que estão presas já no local para melhor apoio.
  • Banho das Crianças: Várias piscinas naturais e pequenas quedas, passeio de fácil acesso recomendado para famílias com crianças.
  • Cachoeira Morada do Sol: Lindas quedas e piscinas naturais com formações rochosas que lembram o Vale da Lua.
  • Barra das Douradas: Piscinas naturais cheias de peixinhos – excelente para a prática de snorkel.

Uma dica é ir durante a manhã e aproveitar o sol iluminando as águas no meio do dia.

Não há estrutura com banheiros, apenas no restaurante.

– Como chegar

Localizada a cerca de 6 km da Vila de São Jorge, siga sentido Colinas do Sul pela GO-239 por cerca de 3,5 km.

Logo você avistará uma placa indicando a Cachoeira Morada do Sol, à direita.

Depois siga por estrada de terra até a portaria, e depois mais 2 km até o estacionamento, de onde se inicia a trilha, que tem menos de 1 km.

– Informações resumidas:

  • Base mais próxima: São Jorge
  • Localização: 6 km de São Jorge e 42,8 km de Alto Paraíso (mais de 2 km em estrada de terra até o estacionamento)
  • Dificuldade: trilha de nível fácil 
  • Ingresso: R$ 35
  • Necessidade de guia: não
  • Alimentação no local: sim (necessário fazer reserva ao chegar)

20 – Mirante da Janela e Cachoeira do Abismo

Mirante da Janela e Cachoeira do Abismo - Chapada dos Veadeiros foto
Mirante da Janela e Cachoeira do Abismo

O Mirante da Janela na Chapada dos Veadeiros, como o próprio nome sugere, trata-se de uma formação natural semelhante a uma janela, onde avistam-se os dois Saltos do Rio Preto (Saltos 120 e 80).

É um dos lugares mais fotografados da Chapada!

São 8km de trilha no total, feita geralmente entre 4h e 6h contando com paradas.

O mirante fica localizado próximo do Parque Nacional e tem acesso por estrada de terra de 1 km que se inicia próxima à São Jorge.

Mas não se confunda, esse não é o mirante do Parque Nacional!

Como mencionamos anteriormente, também há um mirante para os Saltos 120 e 80 no Parque Nacional, porém a diferença é que o Mirante da Janela está mais alto, dando então um panorama ainda mais incrí­vel das quedas.

A trilha começa fácil e vai dificultando até a subida final, que é a mais í­ngreme.

No caminho passamos também pela Cachoeira do Abismo, que só aparece em época de chuva e onde é possível tomar um delicioso banho.

O poço da Cachoeira do Abismo dá a impressão de borda infinita, um cenário incrível.

Depois você irá intercalar o percurso com escadas de madeira com corrimão, caminhos pelas pedras e trechos bastante inclinados.

Há algumas setas brancas nas pedras que indicam o caminho.

O ponto culminante fica a mais de 1000 metros de altura, onde há um mirante com uma vista panorâmica de cair o queixo, de onde temos visão para os Saltos 120 e 80.

Por fim, um pouco mais abaixo do mirante encontramos o Mirante da Janela – são enormes pedras que formam uma “janela” com vista para os Saltos, local onde o pessoal faz fila para tirar fotos – vale a pena!

Muitas pessoas aproveitam a maravilhosa vista para apreciar o nascer ou pôr do sol (neste caso é necessário estar com guia para voltar à noite).

Importante: após as 14h só é permitida a entrada com guia.

– Como chegar

Basicamente, em São Jorge você deverá seguir as placas indicando o Parque Nacional.

Em determinado momento você irá se deparar com uma bifurcação, onde haverá uma placa indicando a portaria do parque à esquerda e o Mirante da Janela à direita – siga pela direita.

Deste ponto até o estacionamento são cerca de 1 km em estrada de terra.

Como o estacionamento lá é pequeno, recomendamos que chegue cedo.

Quando cheio, muitas pessoas optam por deixar o carro na vila e fazer esse trecho de estrada (1 km) a pé.

E por fim a trilha, com 8 km de caminhada (ida e volta).

– Informações resumidas:

  • Base mais próxima: São Jorge
  • Localização: 1 km de São Jorge e 40,8 km de Alto Paraíso (sendo 2 km em estrada de terra até o estacionamento)
  • Dificuldade: trilha de nível moderado à difícil (8 km ida e volta)
  • Ingresso: R$ 30
  • Necessidade de guia: não (mas é recomendado pois há chance de se perder no caminho)
  • Alimentação no local: sim (necessário fazer reserva ao chegar)

21 – Banho nos Parques de Águas Termais

O “Berço das Águas”, apelido da Chapada dos Veadeiros, abriga uma infinidade de nascentes, rios, poços e cachoeiras, além de um dos passeios mais procurados da Chapada – as águas termais.

Não são tão famosos quanto os da sua vizinha Caldas Novas, mas ainda assim é uma ótima e deliciosa maneira de relaxar com um banho quente após um longo dia de caminhadas e diversão.

São piscinas naturais cristalinas e mornas que ocorrem devido ao fenômeno da geotermia – calor armazenado na crosta terrestre, que é formado por rochas de quartzito, fazendo com que as águas fiquem transparentes e mornas, podendo chegar a 30ºC.

Os poços possuem apenas 1 metro de profundidade e rodeados por muita natureza.

Na Chapada dos Veadeiros, existem duas propriedades que abrigam 3 piscinas de águas termais cada: o Morro Vermelho e o Éden, ambos localizados praticamente uma em frente à outra, a cerca de 14 quilômetros da Vila de São Jorge. 

Ambos os parques oferecem restaurantes e cabines para trocas de roupas, e no Éden você ainda tem a possibilidade de se hospedar por lá e também conta com banheiros.

– Dicas

Uma dica é aproveitar para tomar um banho nas águas termais da Chapada dos Veadeiros durante a noite para poder descansar tranquilamente e relaxar os músculos nas águas mornas depois das trilhas.

Estão abertas diariamente de 9h às 19h para visitantes. 

Não é necessário realizar reserva. 

O acesso está restrito a poucas pessoas, máximo de 2h de permanência.

Procure ir em dias de menos movimento, fora de temporadas e feriados.

– Como chegar

Para chegar até essas propriedades, basta seguir pela rodovia GO-239 que liga o município de Alto Paraíso a São Jorge por uma estrada de terra, mas que é bem conservada e segura.

– Informações resumidas:

  • Base mais próxima: São Jorge
  • Localização: 14 km de São Jorge e 51,3 km de Alto Paraíso 
  • Dificuldade: trilha de fácil
  • Ingresso: R$ 25 Éden / R$ 40 Morro Vermelho 
  • Necessidade de guia: não 
  • Alimentação no local: sim

22 – Cachoeira Santa Bárbara, Candaru e da Capivara

Chapada dos Veadeiros - Cachoeira Santa Bárbara
Cachoeira Santa Bárbara: 30m de queda e poço de aproximadamente 4 metros de profundidade – Foto por Ariane Rocha

Cachoeira Santa Bárbara: 30m de queda e poço de aproximadamente 4 metros de profundidade – Foto por Ariane Rocha

Uma trilha fácil, para uma das cachoeiras mais bonitas do Brasil, a Cachoeira Santa Bárbara.

A famosa Cachoeira Santa Bárbara está afastada um pouco mais de 100 km de Alto Paraíso, mais precisamente na comunidade Kalunga no povoado do Engenho, zona rural da cidade de Cavalcante.

A cachoeira é realmente impressionante, com água de um azul surreal.

Além disso, no mesmo caminho para a Santa Bárbara encontramos duas outras cachoeiras tão belas quanto – a Cachoeira Capivara e a Cachoeira Candaru.

Esse trio de belezas naturais forma um dos mais espetaculares conjuntos de atração da região e o passeio pode ser feito todo no mesmo dia. 

– Onde começa o passeio

Chapada dos Veadeiros - Trilha Santa Bárbara foto
Trilha Santa Bárbara – Foto por Ariane Rocha

Tudo começa no Centro de Atendimento ao Turista (CAT) da comunidade quilombola Kalunga, que vive nas imediações e administra o acesso ao local.

Lá você faz a contratação do guia, o pagamento do ingresso e contratação de transporte dependendo da tração do carro que estiver já que a estrada de terra exige 4×4.

Inclusive, por causa da alta visitação, há um controle de permanência de 1h na Santa Bárbara e de 2h na Capivara.

Além disso, vale ressaltar que a contratação do guia é obrigatória (R$ 200 podendo dividir num grupo de 6 pessoas) e que o ingresso para o passeio é bem salgado (R$ 132 por pessoa para visitar as três cachoeiras).

Então prepare o bolso, principalmente se estiver indo sozinho ou em casal.

No entanto, se você escolher visitar uma ou outra cachoeira isso irá fazer com que o preço caia.

Por exemplo, para visitar só a Santa Bárbara fica no entorno de R$ 55 por pessoa.

– Preços das Cachoeiras em Cavalcante

Os preços podem sofrer atualização e são por pessoa – atualizado em 2022:

  • Pacote Santa Bárbara + Candarú + Capivara: R$ 132
  • Pacote Santa Bárbara + Capivara: R$ 88
  • Pacote Capivara + Candarú: R$ 71
  • Pacote Santa Bárbara + Candarú: R$ 88
  • Cachoeira Santa Bárbara: R$ 55
  • Cachoeira Candaru: R$ 43
  • Cachoeira Capivara: R$ 43

Transporte opcional:

  • Santa Bárbara ida e volta: R$20
  • Candaru ida e volta: R$ 30

Quem se hospeda em Cavalcante tem 10% de desconto e quem ficar hospedado na comunidade Kalunga do Engenho II tem 20 %.

– Importante: Compra antecipada

É importante que você garanta sua vaga e faça a compra do passeio antecipadamente.

Acredite, a chance de você chegar lá e não ter vaga para fazer o passeio é grande, então é bom evitar uma situação desconfortável.

Lembrando que na compra online não estão inclusos guia e transporte – estes devem ser pagos diretamente e em espécie.

Clique aqui e compre seu ingresso online

– Cachoeira Santa Bárbara

A Cachoeira Santa Bárbara não é muito alta e tem apenas 30 metros, entretanto a beleza do poço que cerca a queda d’água é mesmo de apaixonar.

Em dias de água perfeita, a transparência é capaz de causar comoção entre os amantes do mergulho e, claro, de fotografias.

Além disso, com apenas 30 minutos de caminhada, antes de chegar na Santa Bárbara, encontramos sua irmã menor, a Cachoeira Santa Barbarinha, que nos dá uma pequena ideia do que está por vir.

Chapada dos Veadeiros - Queda Santa Barbarazinha foto
Primeira amostra da Santa Bárbara, a queda Santa Barbarazinha está no caminho até a queda principal – Foto por Ariane Rocha

A água tem tons semelhantes, mas o poço e a queda d’água são bem menores.

Seguindo adiante por mais alguns metros já é possível avistar em meio à vegetação a queda d’água da Cachoeira Santa Bárbara.

Apesar de nos meses de verão a Santa Bárbara receber mais luz, as chuvas são mais constantes e a água pode ficar um pouco mais turva.

Já no inverno, que é o período da seca, o transparente da água estará garantido, mesmo com menos quantidade de luz.

– Cachoeira da Capivara

Chapada dos Veadeiros - Cachoeira da Capivara foto
Cachoeira da Capivara – Foto por Ariane Rocha

Apesar de menos famosa, a Cachoeira da Capivara é tão linda quanto Santa Bárbara, com tom esverdeado e uma junção de duas quedas caindo no mesmo poço.

Não deixe de conhecer quando fizer a visita na Santa Bárbara – a caminhada exige um pouco na descida í­ngreme no final – há corrimões no trajeto que auxiliam a descida e subida.

São apenas 800 metros do estacionamento até a cachoeira.

A trilha chega pelo topo da Capivara, onde há uma deliciosa piscina natural com borda infinita para um visual espetacular. 

A Cachoeira da Capivara, com 40 m de altura, é formada de um lado por uma longa queda principal e do outro por um sequência de pequenas quedas que formam uma linda cascata nas pedras. 

O poço tem trechos rasos e profundos, por isso é importante ficar atento na hora de nadar. 

O tempo mínimo de permanência é de 2h.

– Cachoeira Candaru

A Cachoeira Candaru é um daqueles segredinhos ainda bem guardados na Chapada dos Veadeiros. 

Ainda que próxima da Santa Bárbara, a Candaru é muito menos visitada e, no entanto, não perde em beleza para as vizinhas mais famosas.

São apenas 400 metros do estacionamento até a cachoeira.

A Cachoeira Candaru é formada por uma linda queda d’água com cerca de 70 m de altura e que cai em um grande poço de água verde e transparente.

Uma banheira de hidromassagem se forma aos pés da cachoeira e faz da Candaru uma atração ainda mais especial.

Além disso, não há tempo mínimo de permanência.

– Dica

Para aproveitar melhor a cachoeira, tente fazer o passeio ao meio-dia, quando o sol bate diretamente na água. 

Fique ligado ao tempo de visitação e na alta temporada dê preferência ao início da manhã, quando é mais tranquilo.

Na Cachoeira Santa Barbarinha não há limite de tempo e você poderá curtir a água transparente com mais calma.

Os restaurantes mais próximos da Cachoeira Santa Bárbara estão no povoado Kalunga Engenho II. Há poucas opções e todas as refeições são bem caseiras e preparadas pelos nativos do povoado. 

Você poderá deixar o almoço reservado para quando voltar. 

Você também pode pedir um açaí, pastel ou tapiocas fresquinhas ou fazer uma compra em uma das lojinhas do povoado que vendem frutas desidratadas e salgados.

– Como chegar

O acesso às três cachoeiras é pelo povoado Kalunga Engenho II, localizado a 27 km do centro de Cavalcante.

O caminho segue pela GO-241 e depois há um desvio à direita que segue até o povoado, em estrada de terra.

A partir do Centro de Atendimento ao Turista no povoado, já será preciso acompanhamento de guia.

Dali até o início da trilha para qualquer uma das cachoeiras, a estrada de terra é de péssima qualidade, sendo necessário 4×4 ou contratação do transfer.

Do CAT para a Santa Bárbara e para Candaru são cerca de 4 km e para a Capivara é 1 km.

  • Santa Bárbara: Trilha de 2,6 km (ida e volta) caminhada leve
  • Capivara: Trilha de apenas 1,6 m (ida e volta)
  • Candaru: Trilha de apenas 800 m (ida e volta)

23 – Cachoeiras do Prata

As Cachoeiras do Prata são paraísos intocados da Chapada dos Veadeiros.

Ficam situadas na divisa de Tocantins com Goiás, e chegar até lá não é tarefa fácil, mas a esplêndida paisagem recompensa todos os quilômetros de estrada de terra.

Mais especificamente, o Complexo de Cachoeiras do Prata está localizado a 60 km de Cavalcante, base mais próxima para quem pretende explorar o complexo, e a mais distante de Brasília.

Para chegar lá a viagem é longa e cansativa, feita em estrada de terra difícil de percorrer, mas tudo vale a pena quando estamos algumas das cachoeiras mais lindas da região.

Sendo assim, as principais atrações do complexo são a Cachoeira Rei do Prata, a Cachoeira Pratinha e a Cachoeira Urubu, todas com água transparente e lindos poços de água para banho.

A trilha que liga todas elas tem 14 km (ida e volta) e o trajeto não é difícil.

Entretanto, prepare-se para muito sol já que a caminhada é em campo aberto.

O percurso conta com alguns trechos de pedras, outros em troncos sobre os rios e algumas subidas.

Com toda a certeza a Cachoeira Rei do Prata é a mais famosa do roteiro. Com poço de água extremamente transparente e em tons de verde esmeralda, a Rei do Prata compete bem em beleza com a Cachoeira Santa Bárbara.

Já o acesso à Cachoeira Urubu está um pouco além da trilha do Rei do Prata.

Nos roteiros de um dia não é comum descer até o poço dessa cachoeira por questão de tempo, mas é possível vê-la do alto do mirante. 

Caso queira fazer a rota completa, combine com o guia a saída bem cedo.

Outra queda d’água que chama a atenção na trilha é a Cachoeira Pratinha, também conhecida como Cachoeira Um, esta com acesso mais facilitado.

Ela possui água transparente e diversas quedas uma ao lado da outra e pode ser visitada no início ou final do roteiro, já que está próxima ao estacionamento.

Logo depois dela, temos outra queda de fácil acesso, a Cachoeira Dois, também com diversas quedas d’água.

Além das cachoeiras principais, há diversas quedas menores com poços deliciosos para um banho rápido. 

É preciso estar com guia para conhecer as cachoeiras, custando em média de R$ 250 a R$ 300 por grupo de até 6 pessoas. 

Sendo assim, você pode contratá-los no centro de Cavalcante ou no povoado Kalunga Engenho II.

Na trilha que leva à Cachoeira Rei do Prata, há uma pequena portaria onde é registrada a entrada de visitantes e conferida a presença de um guia credenciado. 

– Como chegar

O complexo das Cachoeiras do Prata fica a 60 km de Cavalcante.

Como a estrada é toda de terra e tem trechos muito ruins, a viagem a partir de Cavalcante leva cerca de 1h30.

Além disso, a sinalização é precária, então vá preparado com aplicativos como Google Maps.

A partir de Cavalcante, o caminho começa pela GO-241 e segue por 40 km até uma bifurcação. A estrada continua para a esquerda e o acesso para as cachoeiras estará à direita da pista. A partir desse ponto, serão mais 20 km até a entrada para o acesso às cachoeiras, sinalizado à direita da pista.

– Informações resumidas:

  • Base mais próxima: Cavalcante
  • Localização: 60 km de Cavalcante e 150 km de Alto Paraíso
  • Dificuldade: trilha de nível moderado (14 km ida e volta)
  • Ingresso: R$ 90 (pagos na passagem pelo @espacoreidoprata)
  • Necessidade de guia: sim
  • Alimentação no local: não

24 – Mirante da Cachoeira Ave Maria

Uma bela opção de passeio próximo à cidade de Cavalcante é o passeio pelo Mirante da Cachoeira Ave Maria.

A Cachoeira Ave Maria é uma cachoeira que maravilha com sua exuberância, e dizem que seu nome vem da expressão que as pessoas dizem ao avistá-la: “ave-maria!”.

Dentro do território Kalunga, o mirante fica no topo da primeira serra, a 14 km de Cavalcante.

Vale a pena ressaltar que é uma trilha suspensa, tão marcante e bonita quanto a cachoeira em si, já que passa por entre imensos paredões do cânion e termina com a maravilhosa vista da cachoeira de 120 metros de altura.

Para chegar é fácil. A estrada de terra é tranquila e bem sinalizada, com placas indicativas, e a trilha é pequena, de dificuldade baixa.

– Como chegar

Na estrada que leva do centro de Cavalcante para a Comunidade Kalunga do Engenho II, encontramos a placa que indica o acesso ao Mirante da Cachoeira Ave Maria, logo após o Mirante Nova Aurora.

– Informações resumidas:

  • Base mais próxima: Cavalcante
  • Localização: 14 km de Cavalcante (sendo 2 km de terra)
  • Dificuldade: trilha curta de nível fácil
  • Ingresso: R$ 30
  • Necessidade de guia: não
  • Alimentação no local: não

25 – Cachoeira São Bartolomeu

A Cachoeira São Bartolomeu fica localizada dentro da Pousada Vale das Araras, a 5 km do centro de Cavalcante.

A trilha é bem sinalizada e autoguiada, com bastante sombra, podendo ser feita por crianças e idosos.

Além da cachoeira, na trilha você tem acesso a um poço e dois mirantes.

A entrada é R$ 20 por pessoa e no local tem restaurante.

Para fazer todos os passeios lá dentro, anda-se um total de 4 km.

– Informações resumidas:

  • Base mais próxima: Cavalcante
  • Localização: 5 km do centro de Cavalcante
  • Dificuldade: trilha curta de nível fácil
  • Ingresso: R$ 20
  • Necessidade de guia: não
  • Alimentação no local: sim

26 – Cachoeira Veredas

O Complexo Veredas, localizado dentro da Pousada Fazenda Veredas, possui 12 atrações que englobam trilhas, mirantes, praias, poços e cachoeiras. 

Além de ser um lugar maravilhoso, o complexo fica a 7 km do centro de Cavalcante.

O acesso é por estrada de terra em boas condições.

Dentre as atrações, é possível visitar 8 quedas d’água, assim como poços, praias e canyons. Confira as atrações:

  • Praia do Éden
  • Canyon
  • Poço do Miguel
  • Cascata Samara
  • Cachoeira Veredas
  • Cachoeira Veredinha
  • Cachoeira Lara
  • Cachoeira Poço Encantado
  • Cachoeira Escondidinho
  • Cachoeira Toca da Onça
  • Cachoeira Véu de Noiva

– Trilhas

A Cachoeira Veredas, Veredinhas e o Poço Encantado são as atrações principais desse circuito e que vale o esforço para conhecê-las.

Na entrada da Fazenda Veredas recebemos um mapa com dicas dos caminhos, distâncias e cachoeiras – um guia muito importante para o passeio.

É possível chegar próximo às atrações, mas para isso é preciso estar com 4×4 pois a partir da portaria as estradas são péssimas, sendo indicado então para a maioria das pessoas seguir pelas trilhas.

Fique esperto na trilha para a Cachoeira Veredas, de nível difícil, pois alguns trechos possuem subidas e descidas íngremes, passando por pedras no rio e paredões de pedra que margeiam o rio.

Mas o esforço vale a pena. A Veredas, principal atração, tem uma queda alta de 90 metros e um grande poço para nadar.

– Como chegar

Para chegar à Pousada Fazenda Veredas vindo de Brasília, siga rumo a Formosa até o balão, pegue a saída à esquerda com destino a São Gabriel e continue até Teresina. 

Em Teresina, vire à sua esquerda, e em 25 km você chegará à Cavalcante. 

De lá, são somente 5 km até a Pousada Fazenda Veredas.

– Informações resumidas:

  • Base mais próxima: Cavalcante
  • Localização: 7 km do centro de Cavalcante
  • Dificuldade: trilha de nível difícil
  • Ingresso: R$ 50
  • Necessidade de guia: não
  • Alimentação no local: não (mas é recomendado pela dificuldade do passeio)

27 – Mirante do Pôr do Sol

Foto do Mirante do Pôr do Sol Chapada dos Veadeiros - Naturam
Mirante do Pôr do Sol

O Mirante do Pôr do Sol é um ponto turístico da Chapada do Veadeiros, onde as pessoas se encontram para assistir o pôr do sol, o nascer da lua e e contemplar a abundância da natureza do cerrado!

Fica situado ao lado do acesso para a Trilha do Mirante da Janela, em São Jorge, próximo ao Parque Nacional.

O bar lá oferece cervejas, vinhos, espumantes, pizzas e snacks, além de uma programação musical e artística.

Paga-se uma taxa de entrada de R$ 30.

Os preços do bar, quando fomos (2022), não era dos mais baratos – a long neck estava R$ 14, o balde de vinho cerca de R$ 80.

28 – Cavernas na Chapada dos Veadeiros

Caverna na Chapada dos Veadeiros foto
Caverna na Chapada dos Veadeiros – Foto por Ana Paula Hirama

Não muito longe de Cavalcante está Terra Ronca, um parque Estadual que abriga diversas cavernas pouco exploradas e de rara beleza, dividido por complexos, é um dos maiores sí­tios da América Latina e ainda conta com mais cachoeiras.

Por isso quanto mais tempo melhor, assim poderá curtir várias opções de passeios para todos os gostos, então planeje-se bem para ter o maior tempo possí­vel, é super válido passar ao menos dois dias visitando as cavernas, é um prato cheio para os apreciadores da espeleologia.

Aliás, uma imensa placa de quartzo está no subsolo da região e segundo a NASA, o local tem a maior luminosidade da Terra vista do espaço, e com isso dizem que é uma referência para espaçonaves aterrissarem, acredita?

Quando ir na Chapada dos Veadeiros

Quando ir na Chapada do Veadeiros - Naturam

Não existe uma data certa quando se trata de quando ir para a Chapada dos Veadeiros, já que é possível visitar o ano todo.

Entretanto, de outubro a março é a época mais chuvosa, que é quando a vegetação está mais verde e as cachoeiras mais caudalosas e imponentes – a Cachoeira do Abismo, por exemplo, só aparece nesse período!

A desvantagem da época chuvosa são os riscos de tromba d’água e alguns atrativos podem estar fechados, como o Vale da Lua.

De abril a setembro, por outro lado, fica mais seco – é quando as águas ficam mais cristalinas e favorece na hora das caminhadas.

O período seco marca a alta temporada na Chapada dos Veadeiros.

A desvantagem, além de estar mais cheio, é que algumas quedas praticamente desaparecem, como a Cachoeira do Abismo e algumas pequenas quedas na Loquinhas.

Além disso, em julho acontece em São Jorge o Encontro de Culturas Tradicionais da Chapada dos Veadeiros, reunindo diversos grupos populares de culturas tradicionais e ainda uma aldeia multiétnica que reúne í­ndios de todas as partes do Brasil.

  • Melhores meses – abril, maio, junho e julho
  • Piores meses – dezembro e janeiro
  • Meses mais secos – junho, julho e agosto
  • Meses mais chuvosos – novembro, dezembro, janeiro, fevereiro e março

Como chegar na Chapada dos Veadeiros

Foto Caminho - Como chegar na Chapada dos Veadeiros
Estrada Brasília – Alto Paraíso

O principal acesso é via Brasí­lia, seguindo pela GO-118, são cerca de 3h de estrada em ótimo estado.

Você pode ir para Alto de ônibus a partir da rodoviária de Brasí­lia com a Viação Real Expresso, mas há poucos horários de saída, confira aqui antes de viajar!

Porém, não há ônibus que faz o trajeto nem para São Jorge, nem para Cavalcante (seja saindo de Alto ou Brasília), portanto, é necessário contratar transfer que faça esses trechos (normalmente você os encontra na rodoviária de Alto).

Lembre-se de que a distância para as cachoeiras muitas vezes é longa, ou seja, poderá haver dias em que você irá percorrer 100 a 200 km de estrada!

Assim sendo, a opção mais comum para quem viaja para a Chapada é alugar um carro em Brasília já que dessa forma é possível ter mais liberdade na escolha do roteiro e fica mais fácil para passear a noite e acessar as outras cidades base.

Escolhendo carro, deixe este sempre abastecido (os únicos postos ficam em Alto).

Por fim, se você estiver viajando através de uma agência, normalmente eles incluem no pacote um transfer entre Alto e o Aeroporto de Brasília (tanto na ida quanto na volta).

Desta forma, viajar com uma agência é a melhor forma de ir para a Chapada sem carro.

Confira algumas agências:
Outras informações:

Aeroporto mais próximo: Aeroporto Internacional de Brasí­lia

Distâncias:

  • 259 km de Brasí­lia
  • 460 km de Goiânia
  • 664 km de Tocantins
  • 957 km de Belo Horizonte
  • 1229 km de São Paulo
  • 1387 km de Rio de Janeiro

Onde ficar na Chapada dos Veadeiros

Onde ficar - Pousadas e outras acomodações foto

Alto Paraí­so e São Jorge são os principais pontos para quem visita a Chapada, até porque oferecem mais opções de hospedagens.

Basicamente, as hospedagens em São Jorge são mais rústicas, mas encontramos também opções que são mais sofisticadas e muitos campings, uma ótima opção para quem visita o Parque Nacional e outras atrações de São Jorge.

Já Alto Paraíso conta com um centro turístico mais estruturado, com mais comércio e também, com mais opções de hospedagens de todo tipo.

Agora dependendo do seu tempo e roteiro, também vale pernoitar em Cavalcante para otimizar o tempo de chegar na Santa Bárbara e assim evitar o maior fluxo de pessoas que é sempre grande independente do dia da semana.

Confira abaixo algumas pousadas na Chapada dos Veadeiros:

— Hotéis e Pousadas em Alto Paraíso de Goiás

Canto dos Pássaros

Pousada Dona Didi

Pousada Veadeiros

Recanto da Grande Paz

Pousada Alfa e Ômega

Pousada Morada Canindé

Cachoeira Poço Encantado

Pousada das Cachoeiras

Tapindaré Hotel

Victoria Park Hotel

— Hotéis e Pousadas em Cavalcante

Pousada Morro Encantado

Pousada Toca da Raposa

Pousada Aldeia Cayana

Se preferir, clique aqui para reservar diretamente no booking ou faça sua pesquisa através do buscador abaixo:

Booking.com

Cachoeiras da Chapada dos Veadeiros com preço (2022)

Foto Poço das Esmeraldas - Chapada dos Veadeiros
Poço das Esmeraldas – Chapada dos Veadeiros

Agora que já mencionamos cada uma das cachoeiras da Chapada dos Veadeiros, confira onde ficam e o preço do ingresso para cada uma delas.

Uma dica importante é: traga dinheiro vivo, já que são poucas as atrações que aceitam cartões.

Se precisar, em Alto Paraíso encontramos agências do Banco do Brasil e Itaú.

Confira os preços das cachoeiras da Chapada:

– Cachoeiras em Alto Paraíso e proximidades

A cidade de Alto Paraíso de Goiás é a base mais famosa e que atrai a maior parte dos turistas da Chapada dos Veadeiros.

Bem próxima de São Jorge, Alto Paraíso acaba dividindo com a vila muitas das atrações que estão na estrada de ligação entre elas.

Confira algumas cachoeiras de Alto Paraíso:

  • São Bento: R$ 20
  • Almécegas I e II e São Bento: R$ 70
  • Loquinhas: R$ 45
  • Anjos e Arcanjos: R$ 30
  • Cachoeira dos Cristais: R$ 25

Outras cachoeiras localizadas entre Alto Paraíso e São João D’Aliança:

  • Catarata dos Couros: gratuito enquanto não vira parque / guia recomendado
  • Macaquinhos: R$ 40
  • Macacão: R$ 40 / guia obrigatório
  • Dragão: R$ 120 / guia obrigatório, sendo necessário reservar.
  • Paraíso dos Cactos: R$ 25 / guia obrigatório
  • Sertão Zen – gratuito / recomendado guia

Cachoeiras entre Alto Paraíso e Cavalcante:

  • Poço Encantado: R$ 50

– Cachoeiras em São João d’Aliança:

  • Label: R$ 50
  • Cantinho: R$ 25
  • Bonito: R$ 20
  • Complexo Veadeiros: R$ 30

– Cachoeiras na Vila de São Jorge e proximidades

Como mencionamos anteriormente, São Jorge é uma pequena vila localizada a apenas 36 km de Alto Paraíso.

Veja as cachoeiras e atrações que você encontra nos arredores de São Jorge:

  • Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros: R$ 20 / a compra pode ser feita antecipada no site da SociParques, ingresso inclui:
    • Trilha dos Saltos
    • Travessia das Sete Quedas
    • Trilha dos Cânions
    • Trilha da Seriema
  • Vale da Lua: R$ 40
  • Cachoeira do Segredo: R$ 50 (compra antecipada pelo instagram)
  • Cachoeira Raizama: R$ 30
  • Cachoeira Morada do Sol: R$ 35
  • Mirante da Janela e Cachoeira do Abismo: R$ 30
  • Lajeado: R$ 30
  • Volta da Serra – Cordovil e Poço das Esmeraldas: R$ 50
  • Papagaio: R$ 20
  • Simão Correia: R$ 40 / guia recomendado

– Cachoeiras em Cavalcante e proximidades

Cavalcante é a base mais distante para quem pretende explorar as cachoeiras mais famosas da Chapada dos Veadeiros, com pouca infraestrutura turística.

No entanto, ainda que pareça contramão ir até lá (são 90 km a partir de Alto Paraíso), Cavalcante tem uma das atrações mais espetaculares da Chapada: a Cachoeira Santa Bárbara. Com incrível água azul claro, que mais parece uma piscina, Santa Bárbara ganhou fama e hoje é cenário certo para lindas fotos dos viajantes.

Confira as cachoeiras em Cavalcante:

  • Pacote Santa Bárbara + Candarú + Capivara: R$ 132 / guia obrigatório
  • Pacote Santa Bárbara + Capivara: R$ 88 / guia obrigatório
  • Pacote Capivara + Candarú: R$ 71 / guia obrigatório
  • Pacote Santa Bárbara + Candarú: R$ 88 / guia obrigatório
  • Santa Bárbara: R$ 55 / guia obrigatório
  • Candaru: R$ 43 / guia obrigatório
  • Capivara: R$ 43 / guia obrigatório
  • Complexo do Prata: R$ 90 / guia obrigatório
  • Ave Maria: R$ 30 
  • São Bartolomeu: R$ 20
  • Rio do Prata: R$ 90 / guia obrigatório
  • Veredas: R$ 50
  • Ponte de Pedra: R$ 30
  • Vargem Redonda: R$ 40 / guia obrigatório
  • São Félix: R$ 25
  • Canjica: R$ 35 / guia obrigatório

– Cachoeiras em Colinas do Sul

  • Encontro das Águas: R$ 30
  • Cachoeira do Lago Serra da Mesa: canoa havaiana R$ 150 por pessoa
  • Pesqueiro no Pé de Serra: R$ 30
  • Cachoeira das Pedras Bonitas ou Togim: R$ 30
  • Águas termais Édem: R$ 25
  • Águas termais Morro Vermelho: R$ 30

O que levar

O que levar na Chapada dos Veadeiros - Naturam
Cachoeira Almécegas 1000 – Catarata dos Couros

Você não precisa de muito para se divertir e aproveitar as trilhas, preparando uma mochila pequena com um lanche e muita água, roupas leves, confortáveis e de preferência de secagem rápida são ideais, tanto faz se short ou calça, manga curta ou comprida, dependerá de quão exposto prefere ficar ao sol.

Falando em sol, outros itens de proteção como boné, chapéu, óculos escuro e filtro solar são mais do que bem vindos já que as trilhas são muito abertas.

Há quem goste de levar uma canga para usá-la úmida na cabeça, pois dependendo da época do ano a sensação térmica pode passar de 40°C.

A bota de trekking facilita muito no terreno de pedra e areia, pois seu solado ajuda a não escorregar e protege o tornozelo de torções, mas um tênis básico de corrida/academia também funciona, apenas redobre a atenção nos pontos mais acidentados.

O que achou?

Foto Loquinhas Chapada dos Veadeiros
Loquinhas

E, para finalizar, eu adoraria saber a sua opinião sobre esse artigo.

Deixe um comentário logo abaixo sobre o que você mais gostou nesse artigo, ou sobre alguma dica extra que você deseja compartilhar conosco.

A Chapada dos Veadeiros é uma experiência incrí­vel pra quem visita.

Garanto que quem vai pra Chapada dos Veadeiros volta absolutamente maravilhado com sua beleza natural e atmosfera de paz.

Não custa nada lembrar que a natureza precisa de cuidados, proteja-a e seja consciente em suas aventuras, lixo no lixo, respeite os moradores locais, não leve nada do lugar e principalmente, plante essa ideia para todos ao seu redor e assim a semente da conscientização multiplicará.

Eu acho que esta é a melhor parte de viajar.

Voltar diferente do que foi, absorvendo tudo de bom que um novo lugar proporciona, maravilhado e com a alma lavada.

Não deixe sua próxima viagem escapar, afinal, viajar não é um luxo, é uma necessidade, priorize o que realmente importa, vivências!

Aproveite e salve este pin para não perder esta postagem:

▶ Vai viajar? Então reserve aqui!

Você sabia que ao fazer uma reserva com um link aqui no nosso blog, nós ganhamos uma pequena comissão? Você não é taxado a mais por isso e ainda ajuda a Naturam a produzir mais artigos de qualidade! Agradecemos imensamente a ajuda!

11 comentários em “Chapada dos Veadeiros – 27 Dicas de o que fazer com muitas cachoeiras!”

  1. A Chapada dos Veadeiros é um lugar incrível, perfeito para quem quer ter uns dias de conexão com a natureza. Adorei o post, tem dicas e informações bem importantes para quem deseja conhecer o local.

    Responder
  2. Esqueceu de colocar os valores das cachoeiras, principalmente a da Santa Barbara, que ficou inviável pelos preços cobrados, guia +entrada.
    Abraços

    Responder
    • Olá Léo! Vamos levantar essas informações. Aliás, estamos preparando uma viagem para lá para reportar como estão as coisas, inclusive os valores. Agradecemos a dica 😀

      Responder
  3. Fui na Chapada dos Veadeiros no fim do ano passado( 2020). De uma natureza exuberante. Pena q choveu os dias q fiquei lá em Alto Paraíso de Goiás. Mas super recomendo p quem gosta de aventura e natureza.

    Responder
    • Obrigada pela recomendação, Deise 🙂 É você pegou o verão, época que mais chove na Chapada. Mas com certeza, é um lugar maravilhoso! Depois conta mais pra gente sobre sua viagem 😀

      Responder
  4. Muito show. Setembro estou com tudo programado pra ir. Porém queria saber quais as cachoeiras realmente são necessária ter um guia.

    Responder
  5. Vou lhe dizer!!!
    Eu já tinha muuuiiita vontade de conhecer a Chapada, depois dessa matéria a vontade aumentou 1000% kkkk
    Obrigada 😄👏👏👏

    Responder

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: