Guia Completo da Chapada dos Veadeiros

Você já se imaginou finalmente encontrando a paz e vivenciando experiências incríveis num lugar de tirar o fôlego de tão bonito?

Pois é, você não é o único.

Mas posso te dizer que esse lugar existe, e que tive a oportunidade de visitá-lo e vê-lo com meus próprios olhos!

A Chapada dos Veadeiros é um lugar verdadeiramente mágico, e aqui vou dar a você todas as dicas que você precisa antes de ir pra lá.

Então continue lendo pra você conhecer um guia completo e super detalhado sobre a Chapada dos Veadeiros.

 

O parque e sua localização

Chapada dos Veadeiros - Placa "Bem Vindos"
Placa na entrada do parque – Foto por Ariane Rocha

O Parque Nacional Chapada dos Veadeiros – PNCV, localizado a noroeste do estado de Goiás, cerca de 250km de Brasília, é um dos parques mais conhecidos e visitados no Brasil, atrai turistas do mundo todo com suas trilhas, grutas, cavernas e cachoeiras belíssimas.

Saindo de Brasília, percorrendo 230km, chega-se a Alto Paraíso de Goiás, um dos municípios que compõe a Chapada.

A partir de lá, rodando mais 36km pela estrada parque asfaltada, chega-se à Vila de São Jorge que está a menos de um quilômetro da entrada do parque.

 

A Chapada dos Veadeiros e seus aspectos naturais

Chapada dos Veadeiros - Aspectos naturais foto
Caliandra, flor típica do cerrado – Foto por Ariane Rocha

De bioma cerrado, considerado o mais antigo do Brasil, caracterizado principalmente de formações campestres, savânicas, florestais e solo arenoso.

De grande potencial aquífero, o cerrado conta com uma biodiversidade riquíssima de muitas espécies endêmicas, destacando-se as de aves e flores.

Na Chapada, as espécies mais comuns são: lobo-guará, tamanduá bandeira, pato-mergulhão, anta, onça suçuarana, seriema, tatu-bola, tatu-canastra, onça-pintada, lontra, dentre outras.

Durante as visitações no parque e arredores, as chances de avistar os animais são mínimas, mas vale ficar de olho principalmente no céu, pois há mais chances de avistamento de aves.

 

O que fazer na Chapada dos Veadeiros: Atrativos turísticos

São inúmeras as opções de passeios na Chapada dos Veadeiros.

Você pode conhecer cachoeiras, fazer caminhadas pela natureza e entrar em contato com a cultura local.

Vou citar aqui pra vocês os lugares mais procurados na Chapada dos Veadeiros e também outras dicas de lugares ainda pouco conhecidos que se você tiver oportunidade de visitar, visite!

 

1. Trilhas

Chapada dos Veadeiros - Trilha Santa Bárbara foto
Trilha Santa Bárbara – Foto por Ariane Rocha

Dentro do Parque Nacional há cinco opções de trilhas que você pode fazer:

 

– Saltos do Rio Preto – limite de 250 pessoas por dia.

Trilha de nível médio ou pesado dependendo do condicionamento físico do visitante.

São 10km ida e volta em terreno com aclives e declives, o percurso passa pelos mirantes dos saltos de 120m e 80m que são cartões postais do destino.

Na ida há um poço bem grande para banho, na cachoeira do Garimpão e na volta o rio corre raso onde é possível se refrescar mais uma vez em hidromassagem natural, nas trilhas observa-se as marcas do garimpo que foi uma atividade muito forte na região explorada até meados da década de 70.

 

– Trilha dos Cânions e Cachoeira Cariocas – limite de 200 pessoas por dia:

Um pouco mais longa que a trilha dos Saltos, a caminhada entre os cânions I e II e cachoeira Cariocas tem cerca de 12km ida e volta.

Apesar da distância o terreno é mais plano comparado com a trilha do Saltos, mas há muitas pedras no percurso, um pouco de sobe desce e uma descida íngreme no final para chegar até a cachoeira Cariocas.

Há várias paradas para banho com algumas quedas e poços pequenos para se refrescar.

Chapada dos Veadeiros - Cânion I
Cânion I – Foto por Ariane Rocha

Apesar de não ser recomendável ir até o cânion I principalmente em períodos de chuva (geralmente fazem cânion II e Cariocas), com cuidado redobrado chega-se ao cânion I, a atenção deve-se às partes de descida, pois é necessário uma leve escalaminhada entre as pedras para ter sua melhor visão.

 

– Trilha da Seriema – limite de 30 pessoas por dia:

A mais fácil do parque, indicada para todas as idades, têm o percurso total de 800m.

 

– Travessia sete quedas – limite de 30 pessoas acampadas por noite:

Chapada dos Veadeiros - Travessia sete quedas foto
Travessia das sete quedas – Foto por Ariane Rocha

Aberta apenas na época da seca, são de 23,5km que geralmente é feita acampando, é necessário reserva (diretamente no site do ICMBio), a trilha é linda e a área de camping conta com banheiro seco. Como ainda é pouco visitada, torna-se mais um motivo para curtir esse pedaço do parque.

Atenção : O final da travessia é fora da área do Parque Nacional, na beira da estrada, então o visitante precisa contratar um resgate ao final do percurso.

 

– Trilha Carrossel -limite de 250 pessoas por dia:

Há menos de um mês, o parque inaugurou sua quinta trilha, o novo caminho está integrado em parte das trilhas dos Saltos e corredeiras, fazendo um desvio para este trecho, o total da trilha são 4,5km passando por mirantes e a cachoeira do Carrossel, umas das principais quedas do Rio Preto, além de vias de escalada esportiva para os apreciadores da atividade que é permitida assim como o canionismo.

 

IMPORTANTE:

Para realizar as atividades é de suma importância ir com um profissional experiente e equipamentos de segurança.

Vale lembrar que a maioria das trilhas são expostas com poucas sombras, então atenção especial para a proteção solar.

 

2. Vale da Lua

Vale da Lua - Chapada dos Veadeiros foto
Vale da Lua, Chapada dos Veadeiros – Foto por Gus Valentim

O Vale da Lua é um atrativo daqueles que você consegue conhecer mesmo com pouco tempo, pois ele está em uma propriedade particular na estrada que liga Alto Paraíso e São Jorge.

Então indo ou voltando do parque dá pra fazer uma paradinha lá, mas claro que se estiver com mais tempo, vale passar umas horas ali se refrescando e observando as formações tão exóticas.

Lá a trilha é bem curtinha, são apenas 600 metros para chegar ao ponto principal, sua formação peculiar lembra o solo da lua, a força do curso d’água constante do Rio São Miguel fez com que as rochas tomassem forma ao longo do tempo (e muito tempo!).

O lugar rende altas fotos e há algumas piscinas naturais, na época de chuva o atrativo pode fechar se apresentar risco, pois o nível d’água aumenta muito.

 

3. Jardim de Maytrea

Chapada dos Veadeiros - Jardim de Maytrea foto
Jardim de Maytrea – Foto por Ariane Rocha

Também na estrada parque (Go-239) e outro cartão postal, o Jardim de Maytrea é considerado por muitos um local de energia ímpar, dizem que lá há um portal para outra dimensão.

Sua paisagem de um imenso campo de buritis, veredas e montanhas ao fundo como o Morro da Baleia, a parada obrigatória é no pôr do sol que é um dos mais bonitos da região, é só parar o carro no acostamento e apreciar o espetáculo.

 

4. Mirante da Janela e Cachoeira do Abismo

Mirante da Janela e Cachoeira do Abismo - Chapada dos Veadeiros foto
Mirante da Janela e Cachoeira do Abismo

O Mirante da Janela é uma formação natural semelhante a uma moldura onde avista-se os dois Saltos do Rio Preto, por estar mais alto em relação ao mirante de dentro do parque, o panorama é ainda mais incrível.

A trilha começa fácil e vai dificultando até a subida final que é a mais íngreme, no caminho está a Cachoeira do Abismo que aparece em época de chuva, no total são 8km de trilha feita geralmente entre 4h e 6h contando com paradas.

 

5. Cachoeira São Bento e Almécegas I e II

Cachoeira Almécegas I, Chapada dos Veadeiros foto
Cachoeira Almécegas I, Chapada dos Veadeiros – Foto por Max Moura Wolosker

Uma boa pedida para começar a exploração da região, as três cachoeiras podem ser visitadas em meio período, dentro de uma propriedade particular, a Fazenda São Bento.

Todas as trilhas com menos de um quilômetro são ótimas para crianças e quem não caminha muito.

A Almécegas I é a mais imponente, com 45m de queda que lembra um véu de noiva com um poço grande para banho, já a Almécegas II tem 8m de queda e outra piscina bacana.

A São Bento é mais próxima da entrada da fazenda e a que tem a maior piscina.

Se estiver em Alto Paraíso, outra dica é você alugar uma bike para chegar na fazenda, são apenas 8km no plano e lá pode deixá-la estacionada para fazer as trilhas.

 

6. Complexo de Cachoeiras do Macaquinho

Chapada dos Veadeiros - Complexo Cachoeira do Macaquinho foto
Complexo Cachoeira do Macaquinho

Antes de mais nada, vá cedo!

O complexo tem uma trilha com várias cachoeiras esverdeadas muito lindas e ótimas para banho, então reserve o dia todo para curtir bem cada parada nessas piscinas “mais ou menos”.

Situada em outra fazenda particular (RPPN) no sentido de Brasília, seguida por mais 31km de estrada de terra, o local conta com boa estrutura (mas sem lanchonete ou restaurante) e área de camping com banheiros e bebedouro.

A trilha bem demarcada tem cerca de 2km, também leve, mas com alguma subida, a dica é ir até o último poço e depois voltar fazendo as paradas estratégicas onde mais interessar.

Mesmo com todos esses atrativos, o complexo não é um dos locais mais visitados, então se tiver sorte durante a semana é possível encontrar as piscinas praticamente exclusivas.

 

7. Catarata dos Couros

Chapada dos Veadeiros - Catarata dos Couros foto
Catarata dos Couros – Foto por Ariane Rocha

A Catarata do Rio dos Couros, afastada cerca de 57km de Alto Paraíso (maior parte em estrada de terra), é uma das queridinhas dos locais e encanta todos os visitantes, considerada por muitos imperdível.

Sabe aquela trilha que te mostra uma surpresa atrás da outra?

Chapada dos Veadeiros - Começo da Trilha Catarata dos Couros foto
Começo da Trilha Catarata dos Couros – Foto por Ariane Rocha

Chapada dos Veadeiros - Cachoeira Parafuso, Catarata dos Couros foto
Cachoeira Parafuso, Catarata dos Couros – Foto por Ariane Rocha

Lá é assim, em um curto tempo de caminhada você terá a cachoeira principal, há o cânion dos Couros, poços e corredeiras e mais cachoeiras para complementar o passeio que dura o dia todo.

 

8. Cachoeira dos Segredos

Chapada dos Veadeiros - Cachoeira dos Segredos foto
Cachoeira dos Segredos

Distante 13km de São Jorge seguindo por estrada de terra, umas das trilhas mais difíceis para uma das cachoeiras mais bonitas, com cerca de 14km ida e volta de nível médio/pesado.

No percurso cruza-se o rio mais de dez vezes, o trajeto por si só já é bem bonito, a mata mais fechada e densa, diferente da paisagem do parque, guarda uma preciosidade, daí a origem de seu nome.

Mas depois do esforço vem a recompensa, o encontro com a linda e imponente queda  de 115 metros de altura e um belo poço bem gelado é mais que revigorante!

 

9. Cachoeira Santa Bárbara

Chapada dos Veadeiros - Cachoeira Santa Bárbara
Cachoeira Santa Bárbara: 30m de queda e poço de aproximadamente 4 metros de profundidade – Foto por Ariane Rocha

A famosa cachoeira Santa Bárbara está afastada um pouco mais de 100km, mais precisamente na comunidade Kalunga no povoado do Engenho, zona rural da cidade de Cavalcante.

A cachoeira é realmente linda com água de um azul surreal, sua trilha tem 6km ida e volta no geral bem plana.

Chapada dos Veadeiros - Queda Santa Barbarazinha foto
Primeira amostra da Santa Bárbara, a queda Santa Barbarazinha está no caminho até a queda principal – Foto por Ariane Rocha

Com a alta visitação, o controle estipula 1h30 de permanência, nos finais de semana e feriados pode haver espera de algumas horas para conhecer essa beleza.

De quebra pertinho dela está a cachoeira da Capivara, tão linda quanto, essa de tom esverdeado e uma junção de duas quedas caindo no mesmo poço, não deixe de conhecer quando fizer a visita na Santa Bárbara, a caminhada é leve com uma descida íngreme no final.

Chapada dos Veadeiros - Cachoeira da Capivara foto
Cachoeira da Capivara – Foto por Ariane Rocha

A comunidade quilombola Kalunga que vive nas imediações administra o acesso ao local sendo o único local obrigatório ter o acompanhamento do guia e transporte dependendo da tração do carro que estiver.

Chapada dos Veadeiros - Pequena queda cristalina foto
Outra linda pequena queda cristalina na trilha para a Cachoeira Capivara – Foto por Ariane Rocha

 

10. Cavernas e esoterismo

Caverna na Chapada dos Veadeiros foto
Caverna na Chapada dos Veadeiros – Foto por Ana Paula Hirama

Não muito longe de Cavalcante está Terra Ronca, um parque Estadual que abriga diversas cavernas pouco exploradas e de rara beleza, dividido por complexos, é um dos maiores sítios da América Latina e ainda conta com mais cachoeiras.

Por isso quanto mais tempo melhor, assim poderá curtir várias opções de passeios para todos os gostos, então planeje-se bem para ter o maior tempo possível, é super válido passar ao menos dois dias visitando as cavernas, é um prato cheio para os apreciadores da espeleologia.

Uma imensa placa de quartzo está no subsolo da região e segundo a NASA, o local têm a maior luminosidade da Terra vista do espaço, com isso dizem que é uma referência para espaçonaves aterrissarem, acredita?

Além de estar no paralelo 14, o mesmo de Machu Picchu, outro lugar místico.

Há uma série de eventos voltados ao esoterismo, em Alto Paraíso encontrará facilmente aulas de yoga, meditação, massagens terapêuticas e afins, os primeiros turistas que começaram a consolidar o destino foram hippies em busca de um refúgio espiritual e maior contato com a natureza, atualmente há alguns retiros espalhados como do Osho e Prem Baba.

 

11. Feira do Produtor Rural

Feira do Produtor Rural, Chapada dos Veadeiros foto
Feira do Produtor Rural, Chapada dos Veadeiros – Foto por Nilda Brandão

A feira do produtor rural já é tradição e acontece todas as terças das 16h às 18h e sábados das 07h às 12h, na rua Joaquim Costa, em um galpão ao lado do prédio da prefeitura de Alto Paraíso.

Lá reúne não apenas os produtores rurais, mas também artesãos, artistas, pessoas comercializando vários tipos de produtos como geleias, chás, temperos e muito mais.

 

Quando ir

Chapada dos Veadeiros - Pôr do Sol no Maytrea foto
Pôr do sol clássico no Jardim de Maytrea, um dos cartões postais da Chapada – Foto por Ariane Rocha

É possível visitar o ano todo, de outubro à março é a época mais chuvosa e de abril à setembro fica mais seco, no primeiro período a vegetação está mais verde e as cachoeiras mais caudalosas e imponentes, já na seca as águas ficam mais cristalinas e favorece na hora das caminhadas.

Em julho acontece em São Jorge o Encontro de Culturas Tradicionais da Chapada dos Veadeiros reunindo diversos grupos populares de culturas tradicionais e ainda uma aldeia multiétnica que reúne índios de todas as partes do Brasil.

 

Como chegar

Chapada dos Veadeiros - Morro da Baleia foto
Morro da Baleia – Foto por Ariane Rocha

O principal acesso é via Brasília, seguindo pela GO-118, são cerca de 3h de estrada em ótimo estado.

Você pode ir de ônibus a partir da rodoviária de Brasília, alugar um carro, até mesmo a carona é comum ou ainda contratar uma agência que organiza pacotes de passeios e transfer que facilita muito.

  • Aeroporto mais próximo: Aeroporto Internacional de Brasília
  • Distâncias:
    259 km de Brasília
    460 km de Goiânia
    664 km de Tocantins
    957 km de Belo Horizonte
    1229 km de São Paulo
    1387 km de Rio de Janeiro

 

Onde ficar – Pousadas e outras acomodações

Onde ficar - Pousadas e outras acomodações foto

Alto Paraíso e São Jorge são os principais pontos de estadia do visitante, fique nos dois lugares se possível.

Em São Jorge para os dias de visita dentro do parque e Alto Paraíso para conhecer os demais atrativos.

Dependendo do seu tempo e roteiro, também vale pernoitar em Cavalcante para otimizar o tempo de chegar na Santa Bárbara e assim evitar o maior fluxo de pessoas que é sempre grande independente do dia da semana.

O turista encontrará opções variadas de hospedagem desde hotéis, pousadas simples e de alto conforto (principalmente em Alto Paraíso), hostels e campings, tanto na região central quanto na estrada parque que liga São Jorge e Alto Paraíso e arredores.

Veja aqui algumas ótimas opções de hotéis, pousadas e casas para temporada que você encontra na Chapada dos Veadeiros:



Booking.com

 

Visitações

Chapada dos Veadeiros - Buriti foto
Buriti: árvore típica do cerrado no Jardim de Maytrea – Foto por Ariane Rocha

O parque está aberto à visitação de terça à domingo das 8h às 18h com entrada gratuita e limite até às 12h (férias escolares de janeiro e julho aberto todos os dias).

Então é importante chegar cedo principalmente em alta temporada e feriados. Em casos de feriado na segunda o parque abre, fechando no próximo dia útil subsequente.

Para a travessia sete quedas: reservas com mínimo de três dias em caso de pernoite e um dia de antecedência para bate volta.

 

O que levar

O que levar

Você não precisa de muito para se divertir e aproveitar as trilhas, preparando uma mochila pequena com um lanche e muita água, roupas leves, confortáveis e de preferência de secagem rápida são ideais, tanto faz se short ou calça, manga curta ou comprida, dependerá de quão exposto prefere ficar ao sol.

Falando em sol, outros itens de proteção como boné, chapéu, óculos escuro e filtro solar (de preferência biodegradável) são bem vindos, há quem goste de levar uma canga para usá-la úmida na cabeça, pois dependendo da época do ano a sensação térmica pode passar de 40°C.

A bota de trekking facilita muito no terreno de pedra e areia, pois seu solado ajuda a não escorregar e protege o tornozelo de torções, mas um tênis básico de corrida/academia também funciona, apenas redobre a atenção nos pontos mais acidentados.

 

Conclusão

Chapada dos Veadeiros - Morro da Baleia
Morro da Baleia – Foto por Ariane Rocha

E, para finalizar, eu adoraria saber a sua opinião sobre esse artigo.

Deixe um comentário logo abaixo sobre o que você mais gostou nesse artigo, ou sobre alguma dica extra que você deseja compartilhar conosco.

A Chapada dos Veadeiros é uma experiência incrível pra quem visita.

Garanto que quem vai pra Chapada dos Veadeiros volta absolutamente maravilhado com sua beleza natural e atmosfera de paz.

Não custa nada lembrar que a natureza precisa de cuidados, proteja-a e seja consciente em suas aventuras, lixo no lixo, respeite os moradores locais, não leve nada do lugar e principalmente, plante essa ideia para todos ao seu redor e assim a semente da conscientização multiplicará.

Eu acho que esta é a melhor parte de viajar.

Voltar diferente do que foi, absorvendo tudo de bom que um novo lugar proporciona, maravilhado e com a alma lavada.

Não deixe sua próxima viagem escapar, afinal, viajar não é um luxo, é uma necessidade, priorize o que realmente importa, vivências!

Ariane Rocha
Ariane Rocha
Turismóloga, Ariane de São Paulo, 25 anos e há quatro atuando como consultora de viagens na natureza. Começou a fazer trilhas próximas de sua cidade e se apaixonou pelo mundo outdoor, principalmente pelas montanhas e caminhadas de longo percurso, desde então não parou de desbravar novos lugares, está sempre planejando a próxima viagem.

DEIXE SUA OPINIÃO

Please enter your comment!
Please enter your name here