Ilha Anchieta Ubatuba SP

Naturam » Destinos » Brasil » Ubatuba » Ilha Anchieta Ubatuba SP

A Ilha Anchieta em Ubatuba é um dos principais atrativos turísticos da cidade de Ubatuba!

São 7 lindíssimas praias e também a Mata Atlântica preservada pelo Parque Estadual da Ilha Anchieta, com trilhas para contemplar a natureza, e um passeio histórico-cultural incrível: as ruínas do antigo presídio, desativada após uma rebelião no passado.

A ilha é absolutamente maravilhosa graças ao trabalho de preservação, seu mar transparente chama mergulhadores e sua natureza e praias de águas calmas encantam os olhos.

É por isso também que acaba se tornando uma excelente opção de passeio para famílias em deliciosos Passeios de Escuna.

Quem cuida da preservação da ilha é o Parque Estadual da Ilha Anchieta, o PEIA, que preserva e conserva os ecossistemas naturais, amplia o desenvolvimento de pesquisas e a realização de atividades de educação ambiental.

Foto da Ilha Anchieta Ubatuba - Naturam
Praia do Presídio, Praia do Sapateiro e Praia das Palmas

Neste guia completo da Ilha Anchieta você encontra tudo o que você precisa saber sobre a Ilha: como chegar, suas praias, opções de hospedagem próximas, empresas que oferecem passeios de escuna e lanchas para a Ilha Anchieta, suas trilhas, as Ruínas do Presídio, sobre mergulho na ilha e claro, tudo isso com muitas fotos e vídeos incríveis!

Portanto, quando visitar a cidade, aproveite e faça um passeio de escuna ou barco e conheça a famosa Ilha Anchieta!

Vídeo com belas imagens aéreas das praias da Ilha Anchieta – ótimas para banhos e mergulho!

Se inscreva no canal da Naturam e tenha acesso à diversos vídeos de praias e as melhores dicas de viagens!

O que você encontra aqui:

Sobre a Ilha Anchieta – Uma área de proteção ambiental
Fauna e Flora – O que você encotra por lá
Ruínas do Presídio
Praias da Ilha Anchieta
1- Praia do Presídio
2- Praia do Sapateiro
3- Praia das Palmas
4- Praia do Sul
5- Praia do Leste
6- Prainha de Fora
7- Praia do Engenho
Trilhas na Ilha Anchieta
Mergulho na Ilha Anchieta
O que saber antes de ir
Dicas para aproveitar melhor a Ilha Anchieta
Qual a melhor época para visitar a Ilha Anchieta?
Normas para visitação – telefones e horários
Como chegar – operadoras, barcos e lanchas que fazem o passeio
Outras ilhas

Sobre a Ilha Anchieta – Uma área de Proteção Ambiental

Foto da Ilha Anchieta Ubatuba - Naturam
Praia do Sul Ilha Anchieta

Entre as principais ilhas de Ubatuba, a Ilha Anchieta destaca-se pela diversidade de atrativos e opções do que fazer – é a segunda maior ilha do Litoral Norte Paulista.

Como mencionamos anteriormente, a ilha está protegida pelo Parque Estadual da Ilha Anchieta, que controla o número de visitas à ilha e ainda faz as devidas manutenções a fim de que esta permaneça sempre linda e preservada.

É um local tanto para passar o dia e conhecer suas paradisíacas praias com águas calmas e translúcidas, como para fazer trilhas e ter uma experiência de maior contato com a natureza, muitas vezes até encontrando diversos animais no caminho.

Essa característica específica da Ilha Anchieta, de possuir um mar tão calmo como uma piscina, acaba atraindo famílias em busca de um passeio diferenciado.

Aliás, o próprio passeio de escuna e de lancha para a Ilha Anchieta já é um espetáculo por si só.

Com sorte, você avista tartarugas e golfinhos no caminho.

A Ilha Anchieta é também muito visitada por mergulhadores por ser considerada um dos melhores pontos de mergulho do Brasil!

Mas, mesmo que você não seja um mergulhador, leve seu snorkel (um tubo em formato de “J”, acoplado à máscara de mergulho) e pratique mergulho livre, explorando o maravilhoso mar da ilha.

As trilhas também são passeios bastante comuns! Se você gosta de aventura e um contato maior com a natureza essa é sua oportunidade.

Ao longo delas há mirantes, que oferecem vistas singulares e incríveis.

Foto da Ilha Anchieta Ubatuba - Naturam

E o que não poderia faltar é conhecer as famosas Ruínas do Presídio, localizadas na Praia do Presídio. Por lá presos formaram uma das maiores rebeliões da época que aconteceram no Brasil.

Vale a pena conhecer a história e imaginar que tudo isso um dia aconteceu em Ubatuba!

Este é um resumo sobre o que você encontra na ilha, daqui pra frente iremos abordar cada um destes aspectos com mais profundidade, vamos descrever pra você sobre cada praia e também sobre cada passeio.

Continue lendo!

Fauna e Flora – O que você encontra por lá

Fauna e Flora Ilha Anchieta - O que você encontra por lá

O Parque Estadual da Ilha Anchieta é uma área de proteção ambiental criada pelo decreto de lei 9.629 de 29 de Março de 1977 do Estado de São Paulo, com administração pelo Instituto Florestal, órgão vinculado à Secretaria Estadual do Meio Ambiente.

Em sua área de 826 hectares (8,26 km²) as espécimes de fauna nativa são poucas. A maioria foi introduzida na Ilha Anchieta em 1983 pelo Zoológico de São Paulo.

Hoje a ilha possui uma superpopulação de capivaras, macacos-prego, saguis, quatis, gambás, lagartos, tatus e cutias.

Frequentam a Ilha Anchieta cerca de 72 espécies de aves, destacando-se os espécimes de sabiás, juritis, tangarás, tiés­sangue, colerinhas, saíras, bem-te-vis, atobás, gaivotas e beija-flores.

Muitas espécies se afastaram da ilha em função do corte indiscriminado de madeiras, fogo ateado na mata para abrir áreas de plantação, caça sem controle e predação de ninhos pelas espécies introduzidas como coatis e saguis.

No mar em volta da Ilha são encontrados cardumes de tainhas, robalos, carapaus, sardinhas, peixes voadores e tartarugas marinhas.

Hoje a caça e a pesca são totalmente proibidas na Ilha Anchieta, estando então a fauna sob proteção de leis ambientais.

A vegetação encontrada na Ilha Anchieta é classificada como Floresta Atlântica, porém a cobertura vegetal foi bastante alterada. A madeira foi utilizada nas casas dos moradores e presídio.

Após a criação do Parque em 1977, o rebanho de cabras foi retirado, foi implantada a vigilância e o acesso à ilha limitado. Essas medidas criaram condições favoráveis à regeneração da vegetação natural.

Ruínas do Presídio

Foto aérea da Ruínas do Presídio Ilha Anchieta Ubatuba - Naturam
Ruínas do Presídio Ilha Anchieta

As Ruínas do Presídio da Ilha Anchieta tornam a ilha um dos principais atrativos históricos de Ubatuba.

A parte histórica da Ilha tombada pelo CONDEPHAAT, possui mais de 2.000 m² de edificações conservadas, juntamente com as ruínas antigo Presídio, Quartel e Vila Civil pertencentes à Colônia Correcional do Porto das Palmas.

Logo ao desembarcar na Ilha Anchieta, você se depara com um Museu e com as Ruínas do Presídio.

A ilha possui um passado interessantíssimo!

Você sabia que a Ilha Anchieta já foi colônia penal? E que lá aconteceu uma rebelião dos presos, a maior na época?

Foto aérea da Ruínas do Presídio Ilha Anchieta Ubatuba - Naturam
Ruínas do Presídio Ilha Anchieta

Se quiser matar a curiosidade sobre as ruínas do presídio, nós contamos o que aconteceu em História da ilha – Rebelião do presídio.

Diríamos que é uma leitura obrigatória para quem vai visitar a ilha! Você com certeza aproveitará muito melhor o passeio se estiver recheado de informações e conhecimento.

Foto das Ruínas do Presídio Ilha Anchieta Ubatuba - Naturam
Ruínas do Presídio Ilha Anchieta

Mas bom, encurtando a história em um parágrafo, em 1945 o Grupo Shindo Renmei foi recolhido à Ilha como prisioneiros políticos. A ilha funcionou como presídio para presos comuns até 1955, quando aconteceu uma grande rebelião de presos.

É um passeio imperdível, dada a riqueza histórica aliada às belezas naturais da Ilha Anchieta.

Praias da Ilha Anchieta

Foto de 2 Praias da Ilha Anchieta Ubatuba
Praia do Leste e Prainha de Fora

Finalmente chegamos ao que realmente importa para a maior parte das pessoas!

Como dissemos, a Ilha Anchieta em Ubatuba possui belíssimas praias, muitas praticamente desertas, que podem ser acessadas por trilha ou barco.

É muito comum a prática de mergulho nas praias! Suas águas translúcidas são a principal razão para isso.

Falaremos um pouco mais sobre os pontos de mergulho mais pra frente.

Foto da Praia das Palmas Ilha Anchieta Ubatuba - Naturam
Praia das Palmas Ilha Anchieta

São 7 praias no total, o que também diferencia a Ilha Anchieta de outras ilhas de Ubatuba, já que a maioria possui 1, no máximo 2 praias.

Visitar as praias da Ilha Anchieta é um passeio único, e não há nada melhor do que estar num lugar repleto de história e beleza natural.

Vamos então às praias da Ilha Anchieta?

1- Praia do Presídio

Foto da Praia do Presídio Ilha Anchieta Ubatuba - Naturam
Praia do Presídio à esquerda e Praia do Sapateiro à direita. Ao fundo, Praia das Palmas

Na Praia do Presídio na Ilha Anchieta, fica o píer de desembarque da maioria dos passeios de escuna que chegam para as visitações ao Parque Estadual da Ilha Anchieta.

Localizada ao lado da Praia do Sapateiro, é uma praia de tombo, portanto, é preciso cuidado com as crianças.

No canto direito, sai a trilha para a Praia do Engenho.

É nesta praia que se encontra o Centro de Visitantes e famosas Ruínas do Presídio.

Ali perto, no extremo esquerdo do Centro de Visitantes, você também encontra a Capela Bom Jesus.

Quando o Parque foi criado, a Capela Bom Jesus era utilizada como laboratório do Instituto de Pesca e posteriormente para exposições do Projeto Tamar. A reforma ocorreu para atender reivindicações da comunidade local.

2- Praia do Sapateiro

Foto da Praia do Sapateiro Ilha Anchieta Ubatuba - Naturam
Praia do Sapateiro Ilha Anchieta

A Praia do Sapateiro na Ilha Anchieta possui as mesmas características que a Praia do Presídio.

Tem águas calmas, também é um dos principais pontos de atracamento devido ao píer que separa ela com a Praia do Presídio e possui um mar de tombo, ou seja, afunda rapidamente.

A partir do canto esquerdo da Praia do Sapateiro, sai a trilha para a Praia das Palmas.

3- Praia das Palmas

Foto da Praia das Palmas Ilha Anchieta Ubatuba - Naturam
Praia das Palmas Ilha Anchieta

A Praia das Palmas tem mar bastante calmo, propício para o atracamento de embarcações.

Para quem curte tranquilidade em contato com a natureza da Mata Atlântica.

Possui areias claras, águas transparentes.

4- Praia do Sul

Foto da Praia do Sul Ilha Anchieta Ubatuba - Naturam
Praia do Sul lha Anchieta

A Praia do Sul na Ilha Anchieta é bastante procurada pelos turistas por ter águas límpidas e sempre com ótima visibilidade, o que favorece o mergulho, o uso do snorkel e a contemplação da natureza pelos adeptos do turismo ecológico.

Você pode chegar lá de barco ou fazendo uma trilha que sai da Praia das Palmas.

5- Praia do Leste

Foto da Praia do Leste Ilha Anchieta Ubatuba - Naturam
Praia do Leste Ilha Anchieta

A Praia do Leste na Ilha Anchieta é pequena, e como em toda as prias da Ilha, tem águas límpidas e é cercada pela natureza.

Excelente para banhos, mergulho e curtir momentos de paz e tranquilidade.

Esta praia cercada por montanha costuma ficar bastante deserta, até porque seu acesso é somente através de embarcação.

Perfeita para um descanso.

6- Prainha de Fora

Foto da Prainha de Fora Ilha Anchieta Ubatuba - Naturam
Prainha de Fora Ilha Anchieta

A Prainha de Fora, também conhecida como Prainha, é uma linda e pequena praia, localizada ao lado da Praia do Leste.

Praia de Fora e a Praia do Leste são separadas apenas por uma formação rochosa.

7- Praia do Engenho

Foto da Praia do Engenho Ilha Anchieta Ubatuba - Naturam
Praia do Engenho

A Praia do Engenho é uma linda praia cercada por grandes pedras.

Vale a pena visitar o Aquário, ou Piscina Natural onde você pode ver de perto a vida marinha.

A visitação à piscina nautral é controlada: entram apenas 8 pessoas por vez, com tempo máximo de permanência de 15 minutos. Um local para apreciar e contribuir para a manutenção e preservação da vida marinha.

Possui também uma ducha d’água geladinha para se refrescar.

Por ser uma das praias mais visitadas da Ilha, a Praia do Engenho pode encher bastante na alta temporada.

Trilhas

Trilhas na Ilha Anchieta

A Ilha Anchieta possui trilhas que constituem um imperdível contato com a Mata Atlântica e suas belas praias.

Ao desembarcar na ilha, o turista encontra monitores credenciados que acompanham os grupos por essas trilhas; elas só podem ser percorridas com a assistência destes.

Conheça as trilhas da Ilha Anchieta:

Trilha do Saco Grande

  • 2.830 metros ida e volta (3h), nível médeio

A caminhada começa na Praia do Presídio percorrendo uma área direcionada a estudos e pesquisas, e segue em direção a um antigo Quartel onde foram mortos soldados e civis na rebelião de 1952.

No caminho são abordados temas relacionados ao ciclo do carbono e mudanças climáticas, estudos de ambientes insulares e costões rochosos e demonstração de mar aberto.

A vegetação está se regenerando e ocupando as casas da antiga Vila militar, trazendo de volta os primeiros moradores da mata.

Ao final da trilha no costão rochoso deparamos com um mirante das ilhas da região e do mar aberto.

Em dias claros é possível avistar tartarugas marinhas em seu habitat natural. Na volta tome uma ducha (Ducha do Maneco) reservada aos que fazem o passeio.

Neste passeio é necessário o agendamento com 30 dias de antecedência.

Um pouco sobre o Quartel e a Vila Militar:

O motivo que levou à construção do Quartel foi a necessidade estratégica de ter uma vista panorâmica da Baía das Palmas, pois nessa baía também foi construído o Píer da Ilha Anchieta, próximo ao presídio.

Havia uma forma interessante de comunicação com o continente.

O soldado encarregado de fazer a vigilância da Baía se comunicava com outro instalado na Ponta da Espia, próxima à Praia da Enseada.

Ambos se comunicavam hasteando lençóis – o branco significava que tudo estava ok, mas se fosse substituído por vermelho ou preto era sinal de que haviam problemas.

Em Ubatuba é famosa a Trilha da Ponta da Espia, que se inicia na da Praia da Enseada, passando pela Prainha da Enseada e chegando até a Praia do Godói (ou Tapiá). No caminho há uma bifurcação, outra trilha que leva à a Praia de Fora.

No dia da famosa Rebelião, o Quartel foi um dos primeiros alvos dos rebeldes, pois nele estavam as armas (fuzis, pistolas, metralhadoras) utilizadas pelos soldados em guarda no Quartel.

E ao lado do Quartel foi construída a Vila dos Militares, onde estes viviam com suas famílias, mas desta Vila poucas ruínas restaram.

Trilha da Praia do Sul

  • 2.200 metros ida e volta (2h)

A trilha da Praia do Sul se inicia na Praia das Palmas e termina na Praia do Sul.

O caminho já era utilizado antigamente pelos pescadores e moradores da região.

Hoje a trilha está documentada com capacidade de carga e pontos interpretativos da Mata Atlântica, restinga, lendas, histórias e grande variedade de fauna que é fonte de estudo para as escolas que visitam o Parque.

No meio da trilha há um mirante com vista para toda a enseada das Palmas, o Mirante Costão das Palmas, e também o Mirante Biodiversidade.

A Praia do Sul com sua água cristalina e abundante vida marinha é um convite para o mergulho livre.

A trilha tem a capadidade de carga de 149 pessoas por dia.

Trilha do Engenho

  • 900 metros ida e volta

Essa trilha leva até a Praia do Engenho localizada na Ilha Anchieta para evitar confusões, há uma outra Praia do Engenho, porém esta está localizada na costa, ao lado da Almada).

Essa trilha passa pelo Mirante do Boqueirão, pela Praia do Engenho e termina no aquário natural.

Esta é uma trilha autoguiada.

Trilha Subaquática

  • 700 metros ida e volta

Trilha Subaquática é um percurso preparado para ser percorrido mergulhando.

A trilha conduz até a Praia do Engenho e ao Aquário Natural.

O mergulho durante o percurso margeando o costão rochoso possibilita o avistamento de peixes, além de organismos marinhos, como coral cérebro, algas, estrelas do mar e outros.

Esta é uma trilha autoguiada.

Trilha da Represa

  • 700 metros ida e volta (1h30), nível médio

A Trilha da Represa te leva até a fonte de geração de energia e abastecimento da ilha.

No trajeto passa-se pela Vila Civil e pela Casa de Máquinas, depois sobe pela Mata Atlântica, passa pelo Mirante Passado e Presente para, por fim, terminar na represa.

A trilha comporta até 10 pessoas por vez, incluindo monitores.

Algumas recomendações para estar preparado para esta aventura:

Algumas recomendações para estar preparado para esta aventura:
  • Alimentação: água, barra de cereal, lanche e restaurante na ilha.
  • Vestuário: bermuda, calçado apropriado e boné.
  • Acessórios e Equipamentos: repelente, protetor solar, óculos de sol, máquina fotográfica e mochila.

Mergulho na Ilha Anchieta

Mergulho na Ilha Anchieta

A Ilha Anchieta é considerada um dos melhores pontos de mergulho do Brasil. Protegida pelo Parque Estadual da Ilha Anchieta, a caça e a pesca são proibidas.

No entanto, o mergulho contemplativo é liberado, e a riqueza da fauna, flora e grandes peixes de passagem permitem uma bela viagem pelo mundo submarino, bastante procurada por fotógrafos para fotos submarinas.

A profundidade varia entre 3 e 12 metros e a temperatura média da água fica entre 20°C e 28°C. No verão costumam ocorrer quedas buscas na temperatura, chegando a até 15°C.

Portanto, o uso de roupas isotérmicas de 5mm é recomendável o ano todo. A visibilidade varia muito em função de correntes e condições climáticas, indo de 2 a 10 metros.

O fundo é composto de costões rochosos e areia.

Fauna e flora são abundantes, podendo-se observar corais cérebro, esponjas, algas, tartarugas, budiões, arraias-prego, garoupas, badejos e peixes coloridos, principalmente na Ponta Sul.

Pontos de mergulho:

Ponta do Calhau
Profundidade: 5-7m
GPS: 23o 33’08.92”S / 45o 04’51.28”W

Praia do Leste – Toca da Tartaruga
Profundidade: 4 – 10 metros
Temperatura da água: Verão: de 17°C a 27°C – Inverno: 19°C a 23°C
Variação de Visibilidade: 3 à 15 metros
GPS: 23o 32’ 02.82” S / 45o 02’35.47”W

Praia do Sul
Profundidade: 4-8 m
É um dos pontos mais procurados para iniciantes ou para check-out.
GPS: 23o 32’50.54” S / 45o 04’45.61”W

Praia do Leste – Estátua de Jean Jacques Cousteau
Profundidade: 3 a 12 metros
Esta praia abriga a estátua em tamanho natural do mergulhador e cientista francês Jean Jacques Cousteau – colocada no local pela Associação das Operadoras de Mergulho de Ubatuba em 15 de novembro de 1997.
GPS: 23o 31’ 58.69” S / 45o 02”41.79” W

Ilhote Sul
Profundidade: 6 a 18 metros
É um dos melhores pontos do arquipélago.
GPS: 23o 33’44.69”S / 45o 04’43.63”W

Pedra Miúda
Profundidade: 6 a 14 metros
Condições de fundeio: abrigado dos ventos de SE e E
GPS: 23o 32’ 22.74” S / 45o 04’ 57.07” W

Pedra do Navio
Profundidade: 6 a 10 metros
Condições de fundeio: abrigado dos ventos de S e SW
GPS: 23o 31’ 40.64” S / 45o 03’11.91” W

Enseada das Palmas – Saco dos Ventos
Profundidade: 4 a 6 metros
Condições de fundeio: abrigado dos ventos de SW
GPS: 23o 31’ 42.08” S / 45o 04’ 40.67” W

Saco da Aroeira
Profundidade: 4 a 8 metros
Condições de fundeio: abrigado dos ventos de SE e E
GPS: 23o 32’ 06.31”S / 45o 04’ 54.28” W

Veja na galeria de fotos macro abaixo exemplos da grande variedade de vida submarina na Ilha Anchieta, registrada pelas mãos do premiado fotógrafo Delmar Corrêa.

O que saber antes de ir

Foto da Ilha Anchieta Ubatuba - Naturam
Ruínas do Presídio

– No PEIA você conta com banheiros (femininos, masculinas e adaptados para cadeirantes) e duchas.

– Não existem quiosques na praia, portanto, leve o que for comer e beber, sempre se lembrando de recolher todo o lixo do local antes de ir embora. Até porque, é uma área de preservação e o respeito deve ser maior ainda!

– Você também encontra churrasqueiras. Para utilizá-las, terá que pagar uma taxa no próprio local e na mesma data de uso. Os valores variam de acordo com a quantidade de pessoas: R$ 30 até 20 pessoas; R$ 58 entre 21 e 50; R$ 146 para grupos entre 51 e 100 e R$ 293 entre 101 e 200 pessoas.

– Há áreas de uso comum onde é possível fazer piquenique (leve o que for comer e beber, pois lá não há comércio).

– É proíbido pernoitar na ilha, portanto, não há pousadas nem casas para temporada.

– Nas praias você encontrará bóias que delimitam o acesso das embarcações para que elas não se aproximem demais das praias.

Dicas para aproveitar melhor a Ilha Anchieta

Dicas para aproveitar melhor a Ilha Anchieta

– Lembre-se de que é uma ilha preservada e com muita natureza, portanto, leve um repelente para se proteger dos borrachudos.

– As águas da Ilha Anchieta costumam estar cristalinas, porém em épocas de chuvas, de ressaca, quando o mais está mais revolto, as águas acabam ficando mais turvas, o que também não tira a beleza expetacular do lugar.

– Ao chegar na ilha, vá ao Centro de Visitantes para pegar mais dicas e fazer passeios diferenciados, como trilhas.

– Planeje-se com antecedência, principalmente se estiver visitando a ilha na alta temporada. Você pode se deparar com trânsito intenso e perder o passeio por causa do horário.

– Considere também sua hospedagem em seu planejamento para que esta fique localizada próxima do local de embarque a fim de escapar do trânsito.

– Há uma taxa de visitação que deve ser paga quando chegar na ilha.

Qual a melhor época para visitar a Ilha Anchieta?

Qual a melhor época para visitar a Ilha Anchieta?

O Parque Estadual Ilha Anchieta estabelece um limite diário de 1.020 pessoas.

Ou seja, mesmo na alta temporada, a ilha não vai encher mais do que isso, o que te dá mais liberdade para visitá-la até mesmo em períodos de mais movimento em Ubatuba.

Mas se você quer conhecer a ilha com menos gente e ver as praias praticamente desertas, sugerimos que você vá fora da alta temporada, feriados e fins de semana com muito movimento.

Normas para visitação – telefones e horários

Normas para visitação - telefones e horários
Ruínas do Presídio

Nunca devemos esquecer que o meio ambiente da a Ilha é preservada por leis estaduais e pelo Parque Estadual da Ilha Anchieta.

Para fazer um bom passeio, algumas observações importantes:

  • Tanto a pesca como a caça são proibidas na Ilha Anchieta;
  • Ao fazer as trilhas ou frequentar as praias, tenha em mente as regras básicas de proteção do meio ambiente: não deixe lixo nos locais, não interfira com plantas e animais da Ilha;
  • Para uma visitação segura e proveitosa, procure sempre monitores especializados, especialmente para as trilhas, que só podem ser feitas com acompanhamento de monitores credenciados, encontrados na própria Ilha no Centro de Visitantes, localizado na Praia do Presídio.

Sede Administrativa

  • Dias e horário de funcionamento: Diariamente das 9h às 18h. Exceto às quartas-feiras
  • Telefones para informação: (12) 3832-9059 e (12) 3832-1397
  • E-mail: [email protected]

Visitação

  • Dias e horário de funcionamento:de segunda-feira a sexta-feira das 9 às 16h.
    Fechado às quartas-feiras para manutenção

Como chegar na Ilha Anchieta – Passeios de escuna e lancha

Como chegar na Ilha Anchieta - Passeios de escuna e lancha

Estando muito perto do Continente, o acesso é facílimo por barcos, lanchas, escunas e veleiros.

O acesso é feito principalmente através de Escunas – a maioria das empresas fazem um passeio que consiste em levar os passageiros até a Ilha para desfrutarem o dia todo, indo buscar o pessoal no final da tarde.

Algumas incluem visitas acompanhadas por monitores credenciados, o que torna o passeio muito mais interessante.

Outras oferecem o roteiro para conhecer a Ilha Anchieta e também a Praia das 7 Fontes, localizada no continente, isolada e bem próxima da Ilha Anchieta.

A Praia das 7 Fontes, diferentemente das praias da Ilha Anchieta, possui infraestrutura como quiosques.

As visitas à Ilha Anchieta deve ser sempre muito bem planejadas. Aliás, dificilmente você conseguirá conhecer toda a ilha em apenas 1 visita, já que são muitas praias para canhecer.

Veja as empresas que recomendamos para passeio de escuna e lancha em Ubatuba.

Pontos de saída de barco para a Ilha Anchieta

Mapa Ilha Anchieta Ubatuba e saídas do passeio

No Saco da Ribeira e na Praia da Enseada existem diversas empresas que fazem os passeios de escuna para a Ilha Anchieta.

Ao andar pelo calçadão da Praia do Itaguá, você também encontra operadoras que fazem o passeio.

Outra opção de saída próxima à ilha seria na Praia do Lázaro.

Tempo médio da travessia até a Ilha Anchieta:

  • Saindo do Saco da Ribeira (Escuna): 30/40 minutos
  • Saindo do Saco da Ribeira (Lancha): 10 minutos
  • Saindo do Itaguá (Escuna): 1 hora
  • Saindo do Itaguá (Lancha): 30/40 minutos

Há uma taxa de visitação que deve ser paga quando chegar na ilha.

Localização da Ilha Anchieta

Clique na setinha para visualizar o nome da ilha e encontrar sua localização.

 

Outras ilhas

Abaixo, o episódio 6 do projeto “Ubatuba Vista do Alto“, onde mostramos com imagens incríveis da Ilha Anchieta em Ubatuba, no minuto 1:10.

Aproveite para conhecer também através do vídeo outras ilhas de Ubatuba, como a Ilha do Pontal, a Ilha do Prumirim, a Ilha dos Porcos, a Ilha da Selinha e a Ilha das Couves.

Veja abaixo as perguntas mais frequentes feitas pelos turistas. Deixe nos comentário do final da página suas impressões sobre a Ilha Anchieta, podem ser úteis a outros visitantes!

Onde fica a Ilha Anchieta?

A Ilha Anchieta fica em Ubatuba, litoral norte paulista. è a segunda maior ilha do Litoral Norte e considerada um dos principais pontos turísticos de Ubatuba.

O que fazer na Ilha Anchieta?

A Ilha Anchieta tem inúmeros atrativos! Para começar, 7 lindas praias ótimas para mergulho e banho, trilhas ecológicas para contemplar a natureza da Mata Atlântica preservada e um passeio rico em história e cultura pelas Ruínas do Presídio, feito com monitores locais.

Onde se hospedar e como chegar na Ilha Anchieta?

Para conhecer a Ilha Anchieta você pode fazer os passeios a partir de pontos de vendas de passagens e saídas para a Ilha. Você pode ver esses pontos em Passeios de Escuna e Lancha em Ubatuba, e para facilitar escolher uma hospedagem próxima a esses pontos em Pousadas em Ubatuba por Praia.

Existem algum bom vídeo da Ilha Anchieta?

Segue um vídeo que traz um show de imagens da Ilha Anchieta: Praias, Presídio e Mata Atlântica, com muitas dicas: Ubatuba Vista do Alto – a maravilhosa Ilha Anchieta

História da Ilha Anchieta

O turista que faz o passeio pela Ilha Anchieta tem a oportunidade de entrar em contato com a Natureza, mas também com importantes capítulos da História do Brasil.

Na época do descobrimento a Ilha tinha como principais habitantes os índios Tamoios e Tupinambás. Estes a chamavam de Ilha de Tapira, que significa lugar calmo.

Atenuação de um conflito

História da Ilha Anchieta - Ubatuba foto

Os índios tupinambás eram liderados pelo famoso cacique Cunhambebe, responsável pelo tratado da Paz de Iperoig. Este Cacique foi de grande importância numa época em que haviam constantes conflitos entre os portugueses colonizadores e os indígenas.

Uma aproximação de Cunhambebe com os jesuítas missionários José de Anchieta e Manoel da Nóbrega resultou no importante Tratado da Paz de Iperoig de 14 de setembro de 1563.

Com este tratado os conflitos diminuíram bastante e os portugueses ocuparam a colônia de uma forma bem mais tranquila.

A Ilha prospera

Além dos Portugueses, holandeses, franceses e outros europeus chegaram à Ilha Anchieta, além de escravos. Suas atividades principais eram a pesca e da agricultura de subsistência,plantando principalmente café, cana, feijão, milho, mandioca, e com isso o povoado da ilha se desenvolveu.

Foi inaugurada uma pequena igreja, um cemitério, escola e um pequeno e variado comércio cresceu aos poucos.

No ano de 1885 a Ilha passou a se chamar Freguesia do Senhor Bom Jesus da Ilha dos Porcos – e por isso durante muito tempo foi chamada simplesmente de Ilha dos Porcos.

A Ilha se transforma em uma Colônia Penal

História da Ilha Anchieta - Ubatuba foto
Soldados e Detentos do Presídio

Em 1902 um golpe nos habitantes da então Ilha dos Porcos: o governo resolveu transformá-la em uma Colônia Penal, desalojando e desapropriando cerca de 412 famílias.

A colônia chegou a ser desativada em 1914 com a transferência de presos para presídios de Taubaté. Porém, foi reativada em 1928 para nela serem colocados os presos políticos da ditadura de Getúlio Vargas.

Ainda viviam na Ilha alguns dos habitantes originais, que passaram a dividir os espaços com novos moradores: os soldados e suas famílias.

A Ilha é nomeada em homenagem ao Padre José de Anchieta

No ano de 1934, numa série de homenagens prestadas em função do 4º centenário do nascimento do Padre José de Anchieta a Ilha dos Porcos mudou de nome, passando a homenagear o grande Jesuíta, e o nome que ficou até hoje: Ilha Anchieta.

A mudança ocorreu em 19 de março de 1934 por projeto dos deputados Cirinato Braga e Manoel Hipólito do Rego.

Reformas na Colônia Penal, novos conflitos

No ano de 1942 a colônia penal passou por grandes reformas. Novas celas foram construídas formando um pátio central em fora de retângulo.

Este pátio se destinava a área de convivência dos presos, que chegaram a ser de por volta de 453 detentos. Este era o novo Instituto Correcional da Ilha Anchieta, com presos de alta periculosidade.

Esta decisão revelou-se bastante perigosa, pois dentro do presídio se formaram diversos grupos rivais – o que gerou muitos conflitos e uma grande dificuldade para os cerca de 50 policiais controlarem a situação.

Um dos mais famosos presos, e talvez principal líder, era o perigoso João Pereira Lima, o “Pernambuco”, acompanhado dos também perigosos “Mocoroa”, “Daziza”, “China Show” e “Diabo Loiro”.

História da Ilha Anchieta - Ubatuba foto

Havia bastante animosidade entre grupos rivais, que se enfrentavam no pátio, e os cerca de 50 policiais tinham grande trabalho para conter estes conflitos. O principal líder de dos presos era o perigoso João Pereira Lima, o Pernambuco.

A chegada de “Portuga” e como isso alterou o destino da Ilha Anchieta

Um dos fatos mais importantes e determinante para o futuro da Ilha foi a chegada de um novo detento: Álvaro da Conceição Carvalho Farto, o famoso “Portuga”.

Inteligente e culto – formado em engenharia, aos poucos começou sua influência sobre outros presos, criando uma estrutura onde cada um tinha suas funções específicas. Com isso conseguiu organizar a vida interna do presídio e passou a exercer grande controle entre os detentos, diminuindo os conflitos.

O plano de Portuga

Estava em curso um plano de longo prazo para uma rebelião. Alegando que estava correndo risco de vida entre os demais presos, o Portuga conseguiu que o diretor do presídio Fausto Sady Ferreira o transferisse para uma cela solitária.

Antes disso o líder-bandido já havia instruído outros detentos comparsas, e alguns deles passaram a buscar amizade com os policiais e familiares, brincando sorridentes com as crianças da ilha e sendo respeitosos.

Com isso, alguns presos receberam funções bastante específicas para com todos os habitantes, construindo uma falsa imagem de gentileza e cordialidade.

  • O barbeiro dos presos era o “Mão Francesa”. Sua missão seria de transferir seu atendimento para a barbearia das Praças, de onde poderia ver o interior do destacamento. Precisava também ganhar dos militares para ter acesso às escalas de serviço e outras informações do destacamento.
  • O detento “Leitão” conseguir convencer o diretor Sady a praticar tiros, pois sabiam que era ótimo atirador. Com muita bajulação e perspicácia, convenceu o diretor a mostrar sua perícia de atirador. Os objetivos eram fazer com que o barulho de tiros ficasse comum na Ilha – algo raro naquele período – e ganhar sua confiança para ter acesso facilitado ao local onde ficavam guardados os armamentos numa sala dentro do quartel.
  • Os presos que cortavam lenha no Morro do Papagaio tiveram a missão de ganhar a confiança dos soldados – com isso a vigilância arrefeceu e apenas dois guardas faziam a escolta de doze presos que saíam do presídio para cortar lenha.

A Ilha estava num perfeito clima de paz e harmonia. Não haviam conflitos entre detentos, e estes por sua vez se mostravam pacíficos, sorridentes, respeitosos.

O clima de tranquilidade contaminou os soldados, que chegam a ter grande camaradagem com os presos, permitindo até o acesso destes às suas casas. O Plano do Portuga estava em sua fase final.

No ano de 1952 o plano foi executado

O detento que trabalhava no almoxarifado se chamava “Fumaça”. Este conseguiu se informar sobre o dia exato do mês em que a lancha Ubatubinha vinha de Santos trazendo mantimentos para a ilha. Por ter um bom porte, esta embarcação seria usada na fuga. O dia: 20 de junho de 1952.

Na véspera, dia 19, ocorreu o assassinato do preso “Dentinho” que estava sendo acusado de “dedurar” o plano. O boato que os presos espalharam era que Dentinho vinha comentando há tempos sobre sua vontade de fugir – e deram sumiço no corpo, enterrando-o bem fundo na Praia do Bananal.

Com isso eliminaram um perigo ao plano de fuga, e conseguiram um excelente efeito colateral para o plano de fuga: com muitos policiais envolvidos na captura do falso fujão, diminuía o efetivo de policiais em serviço no presídio, facilitando a ação.

No dia 20 iniciou-se a ação.

Os 12 presos que saíram para cortar lenha no Morro do Papagaio eram escoltados pelo sargento Theodósio Rodrigues dos Santos e pelo soldado Geraldo Braga.

Um grupo bem maior, composto de 110 presos, seguiu para a Ponta da Cruz onde recolheria a lenha cortada no dia anterior, também com escolta de apenas dois soldados: Hilário Rosa e Manoel França Ayres, acompanhados de dois guardas civis desarmados, Higino Perez e Helio Barros.

O preso João Pereira Lima – um dos chefes da rebelião – seguia nesse grupo, e de repente retira o fuzil do soldado Ayres. O clima de cordialidade que havia sido criado fora tão bem feito que Ayres pensou a princípio tratar-se de brincadeira, e reagiu do com brandura.

E então os soldados foram dominados quase sem resistência, e foram amarrados em uma árvore. O soldado Hilário que seguia à frente do grupo se aproximou mas foi morto friamente por Pereira Lima com um tiro de fuzil no rosto.

O tiro teria que ser dado de qualquer maneira, pois no plano um estampido sinalizaria ao grupo dos 12 lenhadores para que imobilizassem os soldados Theodózio e Braga.

O tiro não chamou a atenção de soldados no presídio, pois agora eram frequentes nesse horário em que o Diretor praticava tiros – conforme inteligentemente imaginado pelo Portuga. Então, os 12 lenhadores atacaram os policiais com golpes de machado, matando-os e tomando suas armas de fogo.

O ataque ao quartel foi feito de surpresa, iniciado pelo tiro desferido por Pereira Lima, que matou pelas costas o soldado armeiro Otávio dos Santos.

Os policiais tentaram chegar à sala de armas, porém outro detento alcunhado China Show mantinha todos afastados através de uma janela lateral. Os bandidos estavam armados até os dentes e desceram até o presídio, onde atacaram a casa do diretor Fausto Sady e do Comandante do Destacamento, Tenente Odvaldo Silva.

O bandido China Show, após ferir o diretor Sady, foi até a casa do chefe de disciplina, Portugal de Souza Pacheco e o matou diante da esposa e filhos.

A maior rebelião e o maior fracasso

Esta rebelião era naquela época a maior na história dos presídios em todo o mundo, e o massacre foi grande. Mas o próprio tamanho da rebelião foi a causa de seu fracasso.

Descontrolados, os detentos queriam destruir tudo no presídio, e atearam fogo nos pavilhões.

Nisso a lancha Ubatubinha se aproximava para entregar mantimentos, mas sua tripulação percebeu uma fumaça preta que surgia da ilha. Imediatamente, a lancha fez a volta e retornou ao continente, e estava perdida a grande embarcação que daria fuga a todos.

Pereira Lima tentou ainda efetuar a fuga em uma embarcação menor, a lancha do presídio de nome “Carneiro da Fonte”, mas esta comportava apenas 50 pessoas e haviam 90 detentos em fuga. Houve luta, com muitos sendo jogados para fora da embarcação pudesse seguir em frente.

Ainda assim a falta de experiência do piloto improvisado levou a lancha a encalhar na praia rasa de Ubatumirim. Na ilha, outros que não embarcaram na lancha, fugiram em canoas.

No entanto, o soldado Simão Rosa da Cunha conseguiu nadar até o continente e fez com que a notícia sobre a rebelião chegasse até o Batalhão Militar de Taubaté, e no dia seguinte chegaram à ilha muitos reforços policiais vindos do Vale do Paraíba.

Foram recapturados 129 detentos fugitivos entre eles, o chefe “Pereira Lima”, enquanto outros seus desapareceram sem que nunca mais se ouvisse falar deles.

Os rebeldes restantes na ilha ficaram sob o comando do preso Francisco Faria Junior, que se solidarizou com os policiais imobilizados e trancafiados nos pavilhões. Soltaram todos, na esperança de abrandar suas penas.

E o líder intelectual da rebelião, o “Portuga”, foi encontrado morto na Ilha, dizem que por já ter antes problemas cardíacos.

O fim do presídio

A revolta selou o fechamento do presídio, que foi definitivamente desativado em 1955.

Hoje as famosas Ruínas do Presídio são visitadas por milhares de turistas todos os anos.

m 29 de março de 1977, o Decreto Estadual 9.629 transformou a ilha em Parque Estadual com área de 1.000 hectares abrangendo a Ilha Anchieta (828 hectares) e as ilhas das Palmas, das Cabras e a Laje das Palmas.

Todos os anos no dia 20 de junho a Secretaria de Turismo de Ubatuba promove um encontro de cerca de 250 pessoas, chamados “Filhos da Ilha”, que são os descendentes e nascidos na ilha na época da rebelião. Nesta ocasião é prestada uma homenagem aos Heróis mortos durante a rebelião.

No confronto com os detentos do Presídio da Ilha Anchieta, faleceram os seguintes funcionários:

Militares:

  • Sargento Melchíades Alves de Oliveira
  • Cabo Hilário Rosa
  • Soldado Carmo da Silva
  • Soldado José Eugênio Paduan
  • Soldado Bento Moreira
  • Soldado Benedito Damásio dos Santos
  • Soldado José Laurindo
  • Soldado Octávio dos Santos

Civis:

  • Oswaldo dos Santos
  • Portugal de Souza Pacheco

A Ilha Anchieta hoje

Hoje em dia, a Ilha Anchieta mudou totalmente seu perfil, passando a ter sua fauna, flora e riquezas históricas protegidas pelo Parque Estadual da Ilha Anchieta.

Na sede do parque, encontramos muitas informações e painéis fotográficos, monitores de turismo para trilhas ecológicas e culturais, e a pequena capela foi restaurada.

As instalações do antigo presídio, em ruínas, atraem o público para viver a atmosfera onde aconteceram importantes fatos para nossa história.

E além dos turistas, mergulhadores, pesquisadores e outros estudiosos procuram a Ilha Anchieta durante todo o ano.

6 comentários em “Ilha Anchieta Ubatuba SP”

  1. Estou muito anciosa para conhecer, estou planejando e o mais breve estarei conhecendo esse paraíso…

    Responder
  2. foi o lugar mais lindo que conheci,estando lá da uma sensação que as pessoas do passado estão lá,e muito lindo ,,as praias são incriveis,

    Responder

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: