Sevilha: Guia Completo da Capital do Flamenco

Naturam » Blog da Naturam » Sevilha: Guia Completo da Capital do Flamenco

Já conhece Sevilha? Quando pensamos em visitar a Espanha, imediatamente temos Madri e Barcelona como destinos imaginados.

As duas cidades são fascinantes, é claro, mas sugerimos que você adicione mais uma parada na sua rota pelo paí­s ibérico. Por isso, preparamos um guia completo de Sevilha, a capital do flamenco e da Andaluzia!

Sevilha, Espanha foto
Plaza de Espaí±a – Foto por Gabriela Barreto

Repleta de história, monumentos e construções marcantes e dona de uma cultura única que pulsa a qualquer dia e hora, Sevilha é amada por seus habitantes e deixa muitas saudades em quem a visita.

Dois dias é o mí­nimo que você precisa para conhecer todos os pontos fundamentais da cidade, mas o ideal seria reservar três: assim, pode descansar e aproveitar tudo com calma!

Sevilha, Espanha - Localização foto
Placas da Plaza de Espaí±a com mapas do paí­s – Foto por Gabriela Barreto

Sevilha fica na Andaluzia, parte mais ao sul da Espanha que passou séculos sob domí­nio dos mouros. Por isso, em muitos de seus monumentos e por suas ruas é fácil identificar as influências da cultura árabe.

A cidade está localizada a 530 km de Madri e, por incrí­vel que pareça, é mais próxima a Lisboa: fica a 463 km da capital portuguesa.

A Andaluzia é o estado que toma todo o sul do território espanhol e tem outros lugares que merecem atenção, como Córdoba e Granada.

Bom, antes de ir direto ao ponto vamos contar um pouco sobre a fantástica história deste lugar que não deve passar batido se você está pensando em ir pra lá.

Acredite, você vai ficar ainda mais empolgado para conhecer Sevilha!

Depois você encontrará por aqui as melhores opções de o que fazer em Sevilha, assim como como chegar, hotéis, quando ir, como se locomover e claro, lindas fotos da cidade!

Se precisar de ajuda com o idioma, você pode usar a ferramenta do Tradutor Google. Fácil de utilizar tanto no celular quanto no desktop, elimina todas as barreiras do idioma. Veja na página Google Tradutor um guia prático de utilização.

O que você encontra aqui:

Uma breve aula de história

Sevilha no século XVI img
Sevilha no século XVI

A cidade de Sevilha tem suas origens às margens do Rio Guadalquivir, um dos mais importantes da pení­nsula ibérica e que será citado em outros momentos nesse texto.

Passou pelo domí­nio de Cartago e de Roma. Após a queda do Império Romano, ficou com os visigodos até o fato que mudaria totalmente sua história: a invasão muçulmana.

Durante séculos, foi parte do reino mouro de Al-Andalus. É daí­ que vem o nome Andaluzia, aliás.  Por mais que Córdoba fosse a cidade central desse domí­nio árabe, não podemos deixar de lado a importância sevilhana.

A reconquista católica aconteceu só em 1248, durante a unificação espanhola. O rei Fernando III foi o primeiro a ser enterrado na catedral da cidade.

Durante a era de ouro do reino espanhol, principalmente com as grandes navegações, Sevilha foi a cidade mais importante do paí­s.

Todas as riquezas que chegavam das Américas eram escoadas pelo Guadalquivir e alojadas na cidade, que era também a morada da famí­lia real.

O declí­nio só aconteceu no século XVII: uma grande peste dizimou 46% da população e fez com que a corte buscasse novas opções.

Hoje, a cidade é capital da Andaluzia, tem pouco menos de 700 mil habitantes e traz em cada esquina um pouquinho de toda essa história.

O que fazer em Sevilha

Veja aqui as melhores opções de o que fazer em Sevilha, incluindo pontos turí­sticos, atrações, restaurantes e festivais.

1. Real Alcázar

Sevilha - Interior do Real Alcázar foto
Interior do Real Alcázar – Foto por Gabriela Barreto

História, arquitetura, natureza.

O Real Alcázar é impressionante com seu formato labirí­ntico, seus aposentos e corredores de diversos formatos e épocas, seus pátios repletos de laranjeiras, seus arcos e suas gravuras nas paredes.

É uma das construções mais importantes do planeta em muitos aspectos.

Esse palácio começou a ser erguido em 914, como residência dos governantes mouros da cidade. De tempos em tempos, foi ampliado e teve novas partes adicionadas. Com a reconquista católica, foi reaproveitado e durante alguns perí­odos de tempo serviu como sede da famí­lia real espanhola.

Cada novo rei ou prí­ncipe que se estabelecia por lá mantinha a tradição de adicionar novos setores ou aposentos de acordo com os seus gostos e a época que vivia. Por isso, passear pelos corredores e jardins do Real Alcázar é viajar no tempo e conhecer a arquitetura moura, a gótica, a renascentista, a barroca e tantas outras.

Sevilha - Um dos pátios do Real Alcázar foto
Um dos pátios do Real Alcázar – Foto por Gabriela Barreto

Reserve uma boa quantidade de horas para visitar o Real Alcázar, se possí­vel uma manhã ou tarde inteira: o lugar é imenso e labirí­ntico. E, claro, imperdí­vel.

A localização é bastante central em Sevilha e o acesso é fácil. O local está aberto para visitação todos os dias das 9h 30 às 17h e o ingresso custa 11,50 euros.

A curiosidade é que foi usado como cenário da série Game of Thrones .

2. Catedral de Sevilha

Parede externa da Catedral de Sevilha foto
Parede externa da Catedral – Foto por Gabriela Barreto

É a maior catedral gótica do mundo. Só esse já deveria ser um bom motivo pra você visitar essa outra impressionante construção sevilhana!

Mas tem muito mais: lá estão os restos mortais de Cristóvão Colombo e vários reis espanhóis e sua beleza se vê por afrescos, vitrais, torres e esculturas.

No lugar, havia uma mesquita da época do domí­nio mouro, mas ao contrário do que aconteceu com o Real Alcázar, essa construção foi demolida para que surgisse a catedral em seu lugar.

A construção começou no século XV e também foi ganhando caracterí­sticas novas com o passar do tempo e dos estilos arquitetônicos.

A catedral não é tão imensa como o palácio, mas também deixe algumas horas para essa visita, mesmo que não seja um perí­odo inteiro. Ah, as duas construções são vizinhas, com entradas praticamente coladas uma na outra.

O bilhete para visitação custa 9 euros e os horários são os seguintes: segundas-feiras das 10h às 16h, terças a sábados das 10h 30 às 18h, domingos 14h às 19h.

Há um horário gratuito (segundas das 16h 30 às 18h), mas chegue cedo e se prepare para a fila!

3. Plaza de Espaí±a

Plaza de Espaí±a - Sevilha foto

Ao se aproximar, você será abordado por vendedores de passeios a cavalo ou de barco.

Um pouco mais à frente, finalmente verá a praça. Não se sinta mal se você ficar de queixo caí­do, essa é justamente a reação esperada.

A Plaza de Espaí±a é mais uma obra-prima da cidade de Sevilha!

São cerca de 19.000 quilômetros quadrados construí­dos, entre pontes, arredores e uma edificação central cheia de escadarias, arcos, torres e caminhos.

Plaza de Espaí±a - Sevilha foto
Passeios de barco na Plaza de Espaí±a – Foto por Gabriela Barreto

A parte mais incrí­vel é a que tem no chão desenhos em azulejos de cada uma das proví­ncias espanholas e a representação de sua independência e formação atual.

Como é uma praça, a visitação à Plaza de Espaí±a é gratuita e aberta quase o tempo todo (fecha tarde da noite para impedir atos de vandalismo).

É normal ver grupos reunidos com os mais diversos propósitos, de apresentações e aulas de dança a oferecimento de leituras de tarô, venda de artesanato e casais fazendo suas fotos de matrimônio. Cada pedacinho dela parece uma pequena representação do paí­s.

Plaza de Espaí±a - Sevilha foto
Plaza de Espaí±a – Foto por Gabriela Barreto

Recomendamos que você deixe duas ou três horas de seu tempo na cidade para visitar a Plaza de Espaí±a.

É o suficiente para que você ande por todo o espaço, conheça as particularidades.

Fique um pouco mais se quiser aproveitar os passeios de barco ou a cavalo. Ela também está localizada na parte central da cidade e está mais ou menos a dez minutos de caminhada do Real Alcázar e da Catedral.

Assim como o Real Alcázar, a praça é cenário de obras famosas de ficção: foram filmados por lá, por exemplo, Lawrence da Arábia e Star Wars: Episódio II — O Ataque dos Clones.

4. Metropol Parasol

Metropol Parasol - Sevilha foto
Metropol Parasol

Depois de toda a viagem pela história e arquitetura da Espanha nesse guia completo de Sevilha, chegamos ao futuro!

O Metropol Parasol foi inaugurado em 2011 e é a maior construção de madeira do mundo. Seu aspecto externo lembra uma junção de cogumelos e daí­ vem o nome las setas de la encarnación, ou os cogumelos da encarnação.

Mas não se trata apenas de um edifí­cio exótico: lá dentro, funciona um grande centro comercial. No subterrâneo há um museu arqueológico, no primeiro piso um mercado, no segundo e terceiro terraços panorâmicos com vistas magní­ficas para toda a cidade e restaurantes (que são relativamente caros).

Metropol Parasol - Sevilha foto
Metropol Parasol

A visita ao Metropol Parasol não é tão fundamental como a outros itens já citados, mas se houver tempo livre, confira!

O acesso ao mercado é gratuito. O mirante do andar mais alto está aberto das 9h 30 às 23h com ingressos a 3 euros.

A entrada no museu do subterrâneo custa 2 euros e é permitida das 10h às 20h de segunda a sábado e das 10h às 14h aos domingos e feriados.

5. O Rio Guadalquivir e suas pontes

Puente de Triana à noite - Sevilha foto
Puente de Triana à noite – Foto por Gabriela Barreto

As grandes cidades europeias foram quase todas construí­das às margens de rios largos, já que a presença de água é fundamental para o desenvolvimento de uma civilização.  O Guadalquivir, que corta toda a Andaluzia, foi um deles.

E a quantidade de história que esse rio tem é inacreditável!

Foi às margens dele que o general Cipião derrotou o exército de Cartago, feito que é citado no hino da Itália.

Era por ele que chegavam as riquezas que a coroa espanhola levava das Américas, fato que transformou Sevilha em cidade mais importante do paí­s durante alguns séculos.

Hoje, ele está no meio de Sevilha, entre a região central e Triana.

Há duas pontes fundamentais: a Puente de San Telmo e a Puente de Isabel II, também conhecida como Puente de Triana. A segunda é a mais importante e você deve caminhar por ela para apreciar a experiência sevilhana por inteiro!

Vá no começo da noite, ande com calma, veja as luzes e a vista da cidade.

Há barraquinhas de churros e outros doces espalhadas pelos cantos, banquinhos para se sentar. De um lado, o centro da cidade, do outro, Triana, desembocando já na icônica Calle Bétis.

Qual será o seu destino?

Barraquinha de Churros na Puente de Triana - Sevilha foto
Barraquinha de Churros na Puente de Triana – Foto por Gabriela Barreto

6. Triana

Triana Sevilha foto
Mercado de Triana

Do outro lado do Guadalquivir, está Triana, um bairro repleto de história, mas onde a vida noturna e a cultura local não param de fervilhar em momento nenhum.

Se você quiser conhecer tudo que esse lugar precioso tem a oferecer, a recomendação é que você chegue no final da tarde e se prepare para ficar até quase amanhecer!

Primeiro, os museus e atrações que fecham cedo: há o Museu das Carruagens, o Museu da Cerâmica, que fica em uma antiga fábrica, e o Castelo de São Jorge, onde hoje funciona o Museu da Inquisição.

Sim, foi em Triana que o primeiro tribunal do Santo Ofí­cio foi instaurado e muitas memórias desses terrí­veis tempos ainda permanecem. Você pode passar pelo Callejón de la Inquisición, beco que era o caminho final feito pelos condenados.

Caminhe pelas ruas, perceba o orgulho do povo de ser de Triana. A sensação de pertencimento dos moradores desse lugar é algo que é raro de se ver em qualquer lugar do mundo!

Visite o Mercado de Triana, que fica logo abaixo do castelo, quase no ponto de partida da Puente de Triana. Lá, você pode comer alguma iguaria local especial, tomar uma cerveja ou só passear. E aí­, se prepare, porque a noite é só uma criança!

Tapa de camarões de um bar de Triana, Sevilha foto
Tapa de camarões de um bar de Triana – Foto por Gabriela Barreto

Triana realmente pulsa à noite!

Mesmo durante a semana, os bares ficam cheios até tarde, os restaurantes chamam clientes e as ruas são lotadas de jovens que andam em grupos e se divertem. E um guia completo de Sevilha não pode deixar de lado essa faceta da cidade, é claro!

Lembram da Calle Bétis, que já citamos?

Ela acompanha a margem do Guadalquivir desse lado e é repleta de restaurantes.

Comer uma paella às margens do rio é uma experiência muito sevilhana e que você provavelmente deveria experimentar!

A outra rua mais icônica de Triana é a Calle San Jacinto.

É nela que fica uma profusão de bares e que caminhar pode ser até complicado devido à quantidade de pessoas.

É onde você pode parar para tomar uma cerveja e comer alguns tapas — em Sevilha, qualquer bebida pedida rende uma porção gratuita de alguma comida, e não estamos falando de miséria!

A Cerveceria La Grande, por exemplo, serve camarões.

Depois de tudo isso, você já estará pronto para a parte mais importante da noite de Sevilha e de Triana, a parte de conhecer a alma local e de se integrar a toda essa cultura: o flamenco.

7. O flamenco

Interior de um tablao de Triana, Sevilha foto
Interior de um tablao de Triana – Foto por Gabriela Barreto

Em qualquer lugar da Espanha, você encontrará tablaos de flamenco.

No centro de Sevilha, eles se proliferam.

Porém, esses são shows mais pasteurizados, feitos para um público mais distante. Se você quer realmente conhecer o que é essa cultura e senti-la de dentro, o lugar é Triana.

São pequenas casas que dificilmente serão encontradas sem a ajuda de moradores locais.

Nelas, as pessoas cantam, dançam e tocam esse gênero musical de origem cigana com sentimentos vindos do fundo da alma.

Acompanhar uma noite de flamenco em Triana é conhecer a mais pura essência da cultura desse lugar. E a cultura desse lugar é apaixonada pela cidade e pelo bairro.

Se tu te vas, yo me quedo em Sevilla hasta el final, diz uma letra. Os temas principais são três: amor, dor e Sevilha. Muitas vezes, todos aparecem juntos.

Entre as bebidas e as canções, a noite de Triana invade a madrugada e quase a manhã. E você certamente irá dormir se sentindo abraçado por esse lugar mágico.

8. Semana Santa e festividades

Festividades em Sevilha foto
Festividades em Sevilha

No iní­cio do guia, citamos a Semana Santa de Sevilha como uma atração à parte.

De fato, ela é: durante todo o perí­odo que antecede o domingo de páscoa, nota-se movimentações e celebrações pelas ruas. Muitas pessoas usam os capirotes, trajes brancos com chapéus cônicos que têm sentido de penitência.

Durante a Semana Santa, há um calendário de procissões, cada uma com dia e hora marcados para sair de seu determinado ponto de partida em direção à Catedral.

E é muito grande a variação dos estilos desses desfiles, chegando a existir até um tradicionalí­ssimo que sai à uma hora da manhã de quinta para sexta-feira.

Semana Santa em Sevilha foto
Semana Santa em Sevilha

Tudo em Sevilha fica caótico durante essa semana, portanto, esteja preparado para isso. Os bares, restaurantes, monumentos e ruas de forma geral estarão tomados por imensas multidões.

Há outras festividades de destaque em Sevilha: a Andaluzia ainda é a região espanhola mais apaixonada pelas touradas, e por isso é possí­vel que você encontre uma por lá caso seja do seu gosto.

A Feira de Abril acontece depois da Semana Santa e toma as ruas com barraquinhas de muitos produtos e cantos folclóricos.

E a festa de San Fernando, em maio, é a homenagem ao padroeiro da cidade.

Quando ir

Sevilha, Espanha foto
Plaza de Espaí±a

O clima de Sevilha é mais ameno no inverno que no restante da Espanha: o frio não castiga tanto e é rarí­ssima a ocorrência de neve.

A temperatura média varia entre 10 graus em janeiro e 28 em julho, portanto, sem tantos extremos.

Uma boa dica, especialmente se você for católico, é aproveitar a semana santa. Falaremos mais sobre isso em breve, mas as festividades de Sevilha nessa época são mundialmente famosas.

Onde ficar e como se locomover

Hospedagem em Sevilha
Hospedagem em Sevilha

Como é de se esperar de uma cidade europeia de médio porte, Sevilha possui uma rede hoteleira bastante desenvolvida.

Há opções de hospedagem para diversos bolsos e gostos, desde de hotéis de luxo até albergues para jovens e apartamentos para estadia curta.

O mais importante é acertar na localização dentro da cidade.

Há dois bairros fundamentais: o centro, onde quase todos os monumentos e pontos turí­sticos estão localizados, e Triana, onde a vida noturna ferve e há tablaos de flamenco por todos os lados. Dependendo do seu perfil, um ou outro pode ser mais indicado.

Sevilha - Como chegar foto

Caso você prefira algo mais distante, preste atenção no transporte público. Há metrô em Sevilha (funciona das 6:30 à 1h de segunda a quinta, das 6h30 à meia-noite às sextas-feiras e das 7h 30 à meia-noite aos sábados, domingos e feriados e custa 1,35 euro o bilhete ou 2,70 ida e volta), mas a sua extensão é pequena.

Ficar perto de uma estação pode ajudar bastante. O sistema de ônibus da cidade é satisfatório.

Aproveite e pesquise os melhores hotéis e pousadas de Sevilha e consiga o melhor preço clicando aqui ou então fazendo uma pesquisa através do buscador abaixo:

Booking.com

Vamos então ao guia completo de Sevilha! Quase tudo que citaremos está localizado no centro, mas também há um capí­tulo sobre Triana e outro sobre o flamenco!

Como chegar

Sevilha, Espanha foto
Vista de Sevilha

Se sua intenção for unicamente visitar Sevilha, há passagens do Brasil para lá, provavelmente com conexão em Madri ou Lisboa.

O Aeroporto da cidade atende vôos internacionais e é bem localizado, ficando a apenas 3 km do centro.

Como sabemos que essa não é a maior probabilidade, não se preocupe: de dentro da Espanha, é bastante fácil visitar a cidade.

Você pode pegar um avião ou um trem — o sistema ferroviário espanhol é muito eficiente e você cobrirá largar distâncias em pouquí­ssimo tempo.  A estação Santa Justa recebe cerca de 13 milhões de passageiros por ano, também tem ótima localização e oferece todos os tipos de serviços.

A opção mais barata e demorada é a viagem de ônibus.

Conclusão

Sevilha, Espanha foto

Sevilha é apaixonante, única e especial.

Um pedaço da Espanha que mantém raí­zes históricas fortí­ssimas, um povo muito orgulhoso de suas origens e que não tem vergonha de declarar esse amor.

Esse é o destino perfeito para você que ama conhecer a fundo a cultura de um lugar.

Se você quer sentir a Espanha a fundo, vai conseguir mais por lá do que em Madri ou Barcelona.

Já esteve nessa cidade mágica? Deixe seu comentário e conte pra gente o que achou!

Ou, claro, sobre o que você mais gostou ou sentiu falta no nosso guia completo de Sevilha. Sua opinião é sempre importante para nós!

Aproveite também para salvar este pin para não perder essa postagem:

Sevilha, Espanha

Google Tradutor: como usar em suas viagens

Bônus: para você que quer ir para exterior e não domina os idiomas locais, preparamos um ví­deo especial que ensina de modo prático a utilização do Google Tradutor para Viagens:

Deixe um comentário