O Mundo das Cervejas

0
O Mundo das Cervejas - Foto
O Mundo das Cervejas

Estamos longe de ser fanáticos por cerveja como os tchecos ou os alemães, mas não há como negar a preferência do brasileiro pela “loira gelada” no quesito bebida.

Estima-se que existam atualmente mais de 20 mil tipos de cervejas no mundo.

Pequenas mudanças no processo de fabricação, como diferentes tempos e temperaturas de cozimento, fermentação e maturação, e o uso de outros ingredientes, além dos quatro básicos – água, lúpulo, cevada e malte – são responsáveis por uma variedade muito grande de tipos de cerveja.

 

As cervejas podem ser divididas em três grandes famílias, de acordo com o seu tipo de fermentação:

 

LAMBICS

É a cerveja elaborada pelo método mais antigo de fermentação conhecido. Ela utiliza leveduras selvagens, ou seja, leveduras presentes no ambiente e que não temos controle sobre suas linhagens. Estas leveduras, por serem dos mais variados tipos, produzem uma grande variedade de produtos aromáticos e deixam presente na cerveja uma grande quantidade de açúcares não fermentados.

Como curiosidade, se diz que os fabricantes tradicionais destas cervejas não gostam de tocar nem nos fungos ou teias de aranhas que se instalam em suas câmaras de fermentação, pois dizem mudar o gosto da cerveja final se mudarem o ambiente de fermentação.

São bem distintas. Lembram a sensação de estar bebendo um vinho espumante.

Dentro das cervejas Lambic, podemos dividir ainda em alguns tipos:

  • GUEUZE – uma mistura de diferentes Lambics de diferentes idades
  • KRIEK – ao final de Julho, cerejas são maceradas em Lambic. Esta maceração dura 5 a 6 meses para permitir que as cerejas se dissolvam completamente
  • FARO – feita por adição de açúcar e caramelo na Lambic
  • FRAMBOISE – obtida pela mistura de framboesa com Lambic, seguindo ao mesmo processo de maceração usado para fazer Kriek.

Tabela das Cervejas - Foto

 

ALE

As cervejas tipo Ale são fermentadas com o fermento Saccharomyces Cerevisiae, e em temperaturas mais altas, entre 15 e 25º C, e seu comportamento ao final da fermentação, que é de subir para a superfície do fermentado (daí a classificação de Alta Fermentação).

As cervejas produzidas com estes tipos de leveduras são bastante esterificadas, com odor afrutado característico das Ales.

A levedura de alta fermentação teve sua origem nas fermentações com leveduras selvagens, onde os antigos cervejeiros partiam uma nova fermentação com a espuma formada da fermentação anterior, selecionando assim, com o passar do tempo, este tipo de levedura.

Até 1400, quando surgiram as cervejas tipo Lager, todas as cervejas eram Ale. Existe ainda uma lenda que diz que a palavra Alu, signifique algum êxtase religioso, já que os padres eram os grandes produtores de cervejas na antiguidade.

As cervejas do tipo Ale tem um gosto forte de lúpulo e cor de cobre avermelhado. Bebida à temperatura ambiente, para não perder o sabor.

Desta família podemos citar como exemplo:

  • STEEM BEER – Graduação alcoólica de aproximadamente 5%. A única cerveja típica dos Estados Unidos. O seu nome, cuja tradução seria “cerveja de vapor”, refere-se ao fato de libertar uma grande pressão quando colocada nos barris. A Steam Beer é feita por um processo híbrido, destinado a produzir um tipo de cerveja semelhante à Lager alemã, produzida em antigas indústrias que não dispunham do necessário ambiente refrigerado. O resultado é uma cerveja semelhante a ale, mas de grande personalidade. Uma das melhores e mais conhecidas Steam Beers é a Anchor ®, produzida em São Francisco.
  • STOUT – Graduação alcoólica de 3 a 7,5%. Cerveja de alta fermentação feita com cevada torrada e, às vezes, não preparada. Ainda que seja produzida em pequena escala, e em muitos países do mundo, ela é mais popular na Grã-Bretanha, onde há dois tipos: a adocicada e de baixo teor alcoólico (como a Mackeson ®) e a forte e seca (como a famosa irlandesa Guinness ®).
  • TRAPPIST – É originária da Bélgica e só pode ser feita em mosteiros, pelos monges. Somente cinco mosteiros na Bélgica produzem este tipo de cerveja: Westmalle, Chimay, Rochefort, Orval e St. Sixtus. Existem dois tipos de cerveja Trappist. A escura ou dobrada, como é chamada, é produzida com malte caramelizado e tem uma cor escura e um sabor suave. Esta cerveja contém 7% de álcool e deve ser tomada a uma temperatura entre 10 e 14 graus Celsius. O outro tipo é a Tripel, uma cerveja dourada de sabor pesado e espuma muito cremosa. Ela tem 8,5% de teor alcoólico.
    A cerveja Abby é parecida com a Trappist. A diferença é que ela é produzida nas grandes cervejarias belgas, que utilizam receitas compradas dos mosteiros que pararam com a produção de Trappist. As cervejas Trappist e Abby têm alta fermentação e não costumam ser filtradas, por isso devem ser servidas com cuidado para evitar que a levedura presente na garrafa caia no copo.
  • WEIZENBIER (Weissbier ou Weisse) – Cervejas de trigo, geralmente não filtradas.
  • GLÜHBIER (do alemão Glüh = incandescente + Bier = cerveja) – é uma cerveja que deve ser colocada em banho-maria.

 

Lager

Cerveja - FotoAs cervejas do tipo Lager são fermentadas com o fermento Saccharomyces Carlsbergensis, e em uma temperatura mais baixa que as Ale.

Estas leveduras foram sendo selecionadas quando os antigos cervejeiros começaram suas produções em regiões frias, como na Baviera.

Lá, estas leveduras tinham a vantagem de ter menor competição, pois a grande maioria das levedas selvagens não se adaptavam a estas temperaturas.

A principal característica destas cepas é sua deposição ao fundo do fermentado ao final da fermentação (Baixa Fermentação) assim, sua fermentação é mais lenta e cerveja produzida é mais suave, menos afrutada e levemente sulfurosa. São cervejas mais atenuadas, límpidas e redondas.

A grande maioria das cervejas produzidas no Brasil são cervejas de baixa fermentação.

Exemplos da família Lager:

  • Pilsen: Graduação alcoólica 5%. É o tipo de cerveja mais conhecido do mundo. A original foi criada em 1842, em Pilsen, na Boêmia, hoje parte da Tcheco-Eslováquia. Com a sua coloração dourada e brilhante, a sua forte efervescência, o seu sabor puro e bem seco, e as suas qualidades digestivas semelhantes às da água mineral Perrier, a Pilsen tornou-se a mais popular das cervejas de baixa fermentação, o brinde mais comum entre os povos europeus de língua alemã. Com a sua congênere de Budweis e as suas contemporâneas de Viena e Munique, a Pilsener foi largamente imitada após a sua criação. Hoje, somente a empresa alemã criadora da Pilsen original possui o direito de usar a marca Urquell Pilsner® (urquell significa “a procedência original de”). A maioria dos imitadores usa a grafia pilsen.
  • Malzbier: malte caramelizado, cerveja escura e adocicada.
  • Bock: A cerveja tipo bock é outra lager de aceitação mundial por ter um sabor mais forte e encorpado, geralmente de cor avermelhada. É originária da cidade de Einbeck, na Alemanha. Tem baixa fermentação e teor alcoólico entre 6%.
    Como você viu, dentro das três famílias temos uma variedade muito grande de tipos. A Bélgica, por exemplo, se orgulha em dizer que possui mais de 365 variedades de cerveja. Ou seja, você pode beber um tipo de cerveja a cada dia do ano. E lá, com certeza, os cervejeiros sabem do que falam. Lógico, quando não tomaram os 365 tipos em apenas um dia.
COMPARTILHE

Deixe sua opinião