Como combinar vinhos e comidas

0
Como combinar vinhos e comidas - Foto
Como combinar vinhos e comidas

O vinho é uma bebida gastronômica. É a mais abrangente das bebidas, a que tem mais variedades e sutilezas. É uma bebida ao mesmo tempo racional e passional.

Entre os brasileiros, o interesse pelo vinho vem crescendo ao longo dos anos. Atualmente é cada vez mais comum encontrá-lo nas mesas de restaurantes e lares dos mais requintados aos mais populares.

É bastante compreensível portanto, que com esse interesse surjam dúvidas a respeito da harmonização entre os sabores de um prato e de um vinho.

É essencial salientar porém, que não se tratam de regras absolutas. Ninguém deve deixar de tomar um vinho porque a combinação não é ideal. O que se deve evitar apenas são as incompatibilidades extremas, pois estas combinações podem ter como resultados, sabores bastante desagradáveis.

Vinho e carne - FotoO fundamental é o equilíbrio entre ambos: prato e vinho devem se completar e não se sobrepor.
A harmonização é uma arte, um desafio interessante e recompensador. É um casamento onde as partes se completam e ganham realçando suas qualidades.

Consultar um guia pode ser uma boa opção para se ter uma base inicial. Porem, fazer experiências pode ser um caminho interessante, lembrando que o que se busca essencialmente é o prazer.

 

Aqui vão algumas dicas de combinações “recomendáveis”:

  • O vinho de uma região, principalmente no velho mundo, geralmente se harmoniza muito bem com o prato típico desta mesma região. Isto se explica pelo fato de que nesses países o vinho sempre esteve à mesa e, portanto sempre foi muito trabalhado para proporcionar uma combinação perfeita.

Vinho com frutos do mar

  • Para um convívio pacífico e entre vinho e comida, seja prudente e tradicional.
  • É sempre muito importante considerar o corpo do prato e do vinho. Assim, pratos muitos fortes pedem vinhos mais encorpados, enquanto que pratos mais delicados pedem vinhos mais suaves.
  • Carnes e assados, que são pratos gordurosos pedem vinhos tintos, pois seu sabor seco e acido propõe um contraponto desejável a esse tipo de prato. Uma boa opção é um Cabernet Sauvignon.
  • Vinhos aromáticos combinam com pratos com muitas especiarias.Como um bom branco Gewurztraminer.
  • Pratos doces harmonizam-se com vinhos doces. Porem se o vinho tiver alguma acidez os resultados serão melhores, pois isto descarta a possibilidade de um sabor muito enjoativo.
  • Peixes e frutos do mar tem como companhia perfeita os brancos. Os peixes de sabor mais forte ficam bem com os brancos mais encorpados como os chardonnays.
  • A harmonização entre vinhos e aves depende da intensidade do sabor do prato. Frangos e perus se dão bem com brancos encorpados ou tintos frutados. Já as caças harmonizam-se melhor com os tintos de corpo.
  • Entre as massas a regra principal é escolher o vinho com base nos sabores dos molhos empregados.
  • É muito importante considerar que molhos ou ingredientes que possam definir o sabor predominante do prato devem definir também a escolha do vinho.
  • Alguns alimentos têm combinações extremamente difíceis como as comidas japonesas, o chocolate e os pratos temperados com vinagre.

Vinho e queijos - Foto

  • Para os queijos de massa leve combinam melhor os vinhos brancos. Camembert, brie, gouda e ementhal podem harmonizar-se com os tintos suave como os cabernet franc. Parmesão pede um cabernet sauvignon. E os queijos mais picantes como roquefort e gorgonzola combinam bem com um merlot.

Enfim relaxe, não se prenda a regras, brinque com as experiências e descubra o seu gosto pessoal nesse universo complexo de aromas sabores e sensações.

COMPARTILHE

Deixe sua opinião